Carnaval 2018 recuperou o espírito crítico com a classe política no Brasil

A crise política brasileira não deu trégua neste Carnaval. Não foi só na rua, como acostumava acontecer outros anos. Mas, chegou mesmo aos desfiles do Sambódromo no Rio e em São Paulo.
As escolas de samba levaram para a avenida ano críticas sociais contundentes e muito diretas. O caso mais gritante foi o da Paraíso do Tuiuti, agremiação nascida no morro do mesmo nome, em São Cristovão, no Rio. Surpreendeu o público durante o desfile no sambódromo e conseguiu enorme repercussão nas redes sociais. Com o samba enredo:

Meu Deus, Meu Deus, Está Extinta a Escravidão?, a escola criticou as condições de trabalho no país e; de quebra, o atual Governo, responsável pela reforma trabalhista aprovada no ano passado.

Carnaval da Paraíso do Tuiuti foi elogiado nas redes sociais

Se a comissão de frente da escola trouxe O grito da liberdade, mostrando escravos saídos da senzala açoitados. O último carro veio com um vampiro vestido com a faixa presidencial, que lembrava Michel Temer. Ele estava em cima do carro chamado neo tumbeiro, ou seja, um navio negreiro dos tempos atuais. Na avenida foram ouvidos gritos de “Fora, Temer”, relatou o jornal O Globo.

Entre o último e o primeiro carro, o desfile de 29 alas e 3.100 componentes ainda trouxe os minifestoches; integrantes vestidos de verde e amarelo, cor que marcou os protestos a favor do impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff. Sendo manipulados por uma mão invisível e encaixados em patos amarelos, símbolo das reclamações contra o antigo Governo feitas pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP). Eles carregavam nas mãos panelas, outro símbolo dos protestos.

As críticas explícitas da Paraíso do Tuiuti deixaram em silêncio os comentaristas da TV Globo, que transmite ao vivo os desfiles de Carnaval. Enquanto as alas anteriores eram explicadas em detalhes, a dos minifantoches recebeu um rápido e único comentário de “manipulados, fantoches”, logo cortado para um “Jú, 120 [centímetros] de quadril”, em referência à passista mostrada em seguida na imagem.

Nas redes sociais, a escola foi louvada pela “coragem” das críticas. “No pré-Carnaval, quando foi divulgado o tema do enredo, já tivemos uma repercussão interessante, mas esta repercussão muito grande após o desfile nos surpreendeu. Estamos muito felizes”, destacou o diretor de Carnaval. Mas houve também quem, na Internet, considerasse o desfile um “desserviço” digno de rebaixamento.

Deixe uma resposta