Comércio no RJ é fechado permanentemente devido ao Coronavírus

O comércio no RJ terá fechamento obrigatório a partir de amanhã (24), terça-feira. A determinação é da prefeitura do Rio de Janeiro e tem como objetivo conter a propagação do novo coronavírus.

As medidas tomadas pela prefeito Marcelo Crivella serão por tempo indeterminado. Apenas ficam de fora da quarentena as farmácias; os supermercados e hortifrutis, que receberam a recomendação de abrir 24 horas; as padarias; os pet shops; os postos de gasolina, sem as lojas de conveniência; e as lojas de equipamentos médicos e ortopédicos. Não há medidas restritivas para consultórios, escritórios e indústria, por enquanto.

Além disso, os bancos e os shoppings devem permanecer fechados, com exceção das praças de alimentação, que devem entregar em domicílio. Bem como, bares e restaurantes funcionarão apenas para entregas.

A prefeitura determinou, também, mudanças nas feiras livres, que voltam a ser semanais. Porém, com rodízio das barracas, abrindo as pares em uma semana e a ímpares na outra.

Ademais, Crivella informou que a prefeitura encomendou 20 mil cestas básicas para doações a ambulantes e autônomos que dependem da circulação de pessoas nas ruas e que ficaram prejudicados com o confinamento da maior parte da população em casa.

Efeito do fechamento do comércio no RJ

Segundo a Federação do Comércio do estado (Fecomércio RJ), os empresários dos segmentos de comércio de bens, serviços e turismo, no estado do Rio de Janeiro, já observaram uma queda de 50% na demanda, no início da quarentena.

A expectativa é que o impacto seja ainda maior no decorrer do isolamento domiciliar dos cariocas. Assim, os empresários acreditam que a falta de demanda no setor deva atingir 70%. Aproximadamente 83% do empresariado espera ter problemas.

Ademais, se as restrições permanecerem por 30 dias, estima-se uma perda de R$ 30 bilhões no mês, na economia do estado do Rio de Janeiro.

Deixe uma resposta