A cada 6h um carioca morre por disparo de arma de fogo em 2018

A cidade do Rio registrou, somente na primeira quinzena de 2018, 63 mortes por disparos de arma de fogo. Uma média de um assassinato a cada seis horas.

O número engloba dados de homicídios dolosos, latrocínios e autos de resistência e é 36% maior do que o registrado no mesmo período do ano passado.

O levantamento de disparos de arma de fogo foi feito a partir de dados da Polícia Civil

Ao contabilizar, além dos assassinatos, pessoas feridas por disparos de armas de fogo que sobreviveram ao tiro, o número de ocorrências na cidade do Rio também é maior em 2018: são 105 casos na primeira quinzena deste ano, contra 92 em 2017.

O Balanço Anual 2017 do aplicativo Fogo Cruzado, que mapeia de forma colaborativa a violência armada na região metropolitana do Rio de Janeiro, mostra que foram registradas 5.993 notificações de tiroteios e armas de fogo ao longo do ano passado, uma média de 16 por dia. O relatório ilustra a dinâmica e a sensação de insegurança provocada pela violência armada na região metropolitana no Rio, especialmente na capital carioca, São Gonçalo, Niterói e Baixada Fluminense.

O Balanço Anual 2017 é composto por uma série de infográficos que detalham indicadores como: bairros e municípios com mais notificações de tiroteios e disparos; índices de vítimas fatais e feridos; presença policial durante tiroteios; áreas com mais mortes de agentes de segurança pública; horários com maior incidência de tiros; ranking de áreas com UPPs que registraram tiroteios e disparos; mês com maior índice de vítimas; ocorrências em shopping centers; registros com 3 ou mais mortos civis; fechamento de escolas/ suspensão de aulas e até o número de animais atingidos por armas de fogo no período.

 

Deixe uma resposta