Maternidade da Baixada Fluminense sofre com superlotação por falta de vagas em outras unidades da região

A Maternidade da Baixada Fluminense Mariana Bulhões tem recebido muitas pacientes de outras cidades da região. Por falta de vagas em outras unidades hospitalares, as mulheres são encaminhadas para Nova Iguaçu.

Só no primeiro trimestre de 2017, a maternidade municipal recebeu 2368 pacientes de outras cidades, em um total de 6248 atendimentos.

As cidades que mais enviam mulheres para a maternidade de Nova Iguaçu são Queimados e Belford Roxo. Na unidade hospitalar, há apenas 80 leitos e 30 neonatais, o que representa 130% acima da taxa de ocupação que chega a 156 internações.

Apenas sete municípios da Baixada Fluminense tem maternidade. Unidades públicas de outras cidades foram fechadas, e convênios do SUS com unidades privadas foram cancelados.

A superlotação do hospital pode por em risco o atendimento da unidade. Os materiais estão sendo gastos em um prazo menor do que o previsto.

O estado do Rio já acumula R$37 milhões em dívidas no repasse de recursos para a maternidade. Os atrasos acontecem desde 2014, e os recursos enviados pela União também não estão sendo repassados integralmente.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com