Polícia fluminense matou três vezes mais do que a paulista

A polícia fluminense matou três vezes mais do que a paulista em 2017. É o que apontam os dados do ISP e da Secretaria de Segurança de São Paulo.

A comparação foi realizada com base nas taxas de mortos por 100 mil habitantes. O Estado de São Paulo possui 44,7 milhões de habitantes, e contabiliza 0.38 mortos para cada 100 mil pessoas. Em números, foram 174 pessoas mortas pela polícia. Já o Estado do Rio de Janeiro tem 16,6 milhões de habitantes, com uma taxa de 1.81 mortos por 100 mil habitantes. No total, o Rio tem 302 mortos somente em 2017.

De acordo com a socióloga Silvia Ramos, a maior diferença entre as polícias esta na abordagem. No entanto, vale ressaltar as peculiaridades do Rio. A cidade é o único local do país em que criminosos têm domínio sobre territórios da cidade.

“Você entra em uma favela e é recebido por alguém com um fuzil que vai perguntar quem é você, para onde você vai. Vai ter domínio sobre a vida das pessoas. E isso em áreas distantes e em Copacabana, Ipanema. Esse modelo do controle de território só aconteceu no Rio”. Afirma Silvia Ramos.

Fonte: Uol

Segundo ela, enquanto no Rio as mortes costumam envolver armamentos pesados em confrontos em comunidades, em São Paulo estão mais relacionadas a atendimentos de ocorrências de crimes contra o patrimônio.

Pesquisador do Laboratório de Violência da Uerj (Universidade Estadual do Rio de Janeiro), o sociólogo João Trajano Sento-Sé lembra ainda a diferença entre o tráfico nos dois Estados. O PCC conseguiu criar uma espécie de monopólio, reduzindo o potencial de conflito. “Tem uma capacidade maior de negociação com as autoridades”. Já no Rio o tráfico briga entre si e com a polícia.

O cenário financeiro que vivem os Estados, também refletem na segurança. O governo fluminense tem atrasado o salário dos servidores e bonificações e horas extras deixaram de ser pagas. Por sua vez, há um acompanhamento mais estrito do governo paulista sobre os policiais.

Deixe uma resposta