Seguradoras de veículos rejeitam contratos

O número de veículos roubados este ano está levando seguradoras a recusar clientes ou aumentar consideravelmente o valor do contrato.

A maioria dos proprietário dos automóveis desistem de fechar negócio. Segundo o diretor-executivo da Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg), Julio Cesar Rosa, companhias do setor deixaram de trabalhar com pelo menos cinco bairros do Rio: Cavalcanti, Manguinhos, Sampaio, Pavuna e Rocha Miranda.

As seguradoras passaram a considerar os trajetos mais percorridos pelos motoristas

Além do endereço da residência ou do trabalho, agora avaliam os caminhos mais percorridos pelo motorista. Dependendo do trajeto, a conta pode subir 15%. Ou seja, morar em área nobre não é garantia de contrato fechado.

Se, por exemplo, o interessado vive no Leblon e costuma ir todos os dias de carro para a região do Méier, o percurso pode encarecer muito o seguro. Por cruzar áreas com grande ocorrência de assaltos.

Um levantamento da FenSeg aponta que, em 50% dos casos de roubos de veículos no Rio, os crimes são praticados para retirada de peças e venda no mercado ilegal. Em 30% das ocorrências, o objetivo é a clonagem de automóveis. Em 20%, ladrões tomam um carro para cometer outros delitos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com