Vale a pena ter um carro a diesel no Brasil?

A avaliação é que o carro a diesel só são indicados para as pessoas quando elas precisam percorrer longas distâncias diárias. Especialmente em estradas.
A greve dos caminhoneiros pegou muita gente de surpresa. As bombas de gasolina e etanol ficaram secas nos postos de combustíveis de todo o país durante dez dias. Elas só voltaram a ser reabastecidas parcialmente na terça-feira (29). O que não faltou para ninguém durante esse período foi o diesel, justamente o principal motivo da paralisação. Mas vale a pena ter um carro a diesel no Brasil?

O preço é maior de compra desses veículos e o custo mais elevado de manutenção. Quando comparado ao dos modelos flex e a gasolina, acabam não compensando, mesmo com os recentes subsídios anunciados pelo governo.

O Brasil é um dos poucos países no mundo em que há restrições para a comercialização de automóveis movidos a diesel. Em 1976, o extinto Ministério da Indústria e Comércio (MIC), através da portaria 346, determinou que apenas modelos comerciais leves e pesados podem ser impulsionados por esse tipo de motor. O que em tese restringe as opções de carros a diesel a menos de duas dezenas entre os zero-quilômetro, todas de carroceria SUV e com preços acima dos 100 mil reais.

A proibição do carro a diesel

A decisão de proibir carros de passeio a diesel no país foi motivada pela crise do petróleo durante a década de 1970. Como parte do programa de incentivo à utilização do álcool (etanol) como principal combustível para os automóveis. Embora esse contexto econômico já não faça mais sentido há décadas a restrição persistiu com base em argumentos ambientais. Uma vez que, historicamente, o diesel sempre foi o mais danoso à atmosfera. Isso, pela maior quantidade de material particulado (poluentes suspensos no ar) emitida por quilômetro.

A determinação do governo para que os veículos possam ter motores a diesel é que eles precisam atender alguns critérios. Como ter capacidade de carga de uma tonelada e/ou tração 4×4 com caixa de transferência reduzida. Na prática, a relação das marchas fica muito mais curta para permitir que o veículo transponha obstáculos com mais facilidade.

E é nesse último critério que alguns utilitários esportivos conseguem se enquadrar. A exemplo do Jeep Renegade, o SUV a diesel mais barato do país. De acordo com a tabela de preços da Kelley Blue Book Brasil custa 106.981,00 reais na versão Custom 4×4 2.0 Turbodiesel na região de São Paulo.

Deixe uma resposta