Volta do cobrador de ônibus pode pesar no bolso do passageiro

O projeto de lei que pôs fim à dupla função de motoristas de ônibus, abrindo caminho para a volta do cobrador, tem dividido opiniões.
O presidente do sindicato da categoria, Sebastião José da Silva, torce para que o prefeito sancione a lei, aprovada na Câmara Municipal. Ele acredita que, se a mudança for implantada; pelo menos quatro mil empregos de cobrador serão criados, mais do que os três mil que ele estima existirem hoje. Usuários de ônibus, no entanto, não têm tanta certeza sobre os benefícios da lei.

Embora muita gente ache complicado o motorista ter que guiar e dar troco; o que aumenta a insegurança e o tempo de viagem. Passageiros também temem que o valor da passagem; que diminuiu duas vezes por ordem da justiça este ano, possa ser reajustado para dar conta das novas despesas.

O Rio Ônibus, sindicato que representa as empresas; classificou o projeto de lei de “retrocesso” e diz ainda não saber quanto custariam a volta dos cobradores e a readaptação dos coletivos, já que muitos sequer têm mais espaço para o profissional. Cálculos ainda estão sendo feitos pela área técnica dos consórcios. Somente na semana que vem o sindicato deverá ter uma ideia dos custos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com