Rio ainda não pagou as horas extras da Olimpíada aos policiais e bombeiros

Passado oito meses do fim dos Jogos Olímpico, o Rio ainda não pagou as horas extras da Olimpíada. É o chamado RAS (Regime Adicional de Serviço), que permite o trabalho fora do expediente com o pagamento dessas horas. O governo do Rio condiciona o pagamento à privatização da Cedae (companhia de esgoto e saneamento).

Existe um impasse entre a Secretaria Estadual de Fazenda, a Polícia Civil e a Polícia Militar. A Secretaria diz que o Rio ainda não pagou as horas extras da Olimpíada e as policiais dizem que foram feitos depósitos parciais. A dívida chega a R$ 4 milhões e era pra ser paga até o fim da Olimpíada.

O lado do Corpo de Bombeiros garante que os militares que participaram do programa não receberam nem um real do benefício. O Corpo de Bombeiros diz que quase 5.000 militares estão na fila do pagamento do RAS.

No caso da Polícia Civil, a assessoria diz que consta no sistema o pagamento de 1.7646 e 3.323 agentes. Mas nem o sindicato da categoria e nem o governo do Estado reconheceram esse pagamento.

Já a Polícia Militar informou que os pagamentos foram feitos de forma parcial, restando resíduos a pagar. Os agentes da Força Nacional que aturam no período olímpico para reforçar a segurança receberam no esquema de diárias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *