Vantagens, experiências e bagagens do intercâmbio

Fazer um intercâmbio é o sonho de consumo de muitos jovens. Mas, apesar da prática ser comum entre os adolescentes e a geração dos 20 e poucos, ela vem ganhando também o gosto de gente mais experiente, até mesmo com carreira já consolidada. Especialista fala sobre tipos, benefícios e cuidados na escolha do destino, entre outras dicas

De acordo com dados da  Eduexpo, maior feira de intercâmbio do mundo, realizada recentemente no Distrito Federal, o Brasil ocupa o primeiro lugar no ranking de países da América Latina que mais procura estudar no exterior.

Somente no ano passado, cerca de 40 mil brasileiros iniciaram cursos superiores em outros países, e nem a crise tem afetado o setor, que está em franco crescimento. Em 2016, 247 mil estudantes participaram de programas de intercâmbio, número 14% maior que em 2015.

 

Em uma entrevista feita para o o jornal A VOZ DA SERRA*, a diretora da agência Genebra Turismo, Ana Cláudia Balsa, falou sobre os tipos de intercâmbio, o perfil do intercambista e as vantagens da experiência para a carreira profissional.

Confira abaixo algumas dicas dadas pela diretora.

O perfil do intercambista 

O intercâmbio abrange todo o tipo de pessoa: aquele que quer trabalhar, estudar, passear. O importante é o indivíduo estar aberto à novas culturas e gostar de estudar outra língua.

Benefícios do intercâmbio 

O intercâmbio é uma experiência fantástica, seja qual for a idade do viajante. No caso dos jovens, ele proporciona amadurecimento, uma vivência diferente, abertura de mente e para o currículo é um grande diferencial.

 

Cuidados antes de escolher o destino

Basicamente é conhecer o clima e a cultura do lugar para onde você está indo. Se você não gosta de frio, você não deve fazer intercâmbio em Toronto, no Canadá, em dezembro, por exemplo. Pois você vai enfrentar temperaturas próximas a 25 graus negativos e, lógico, vai detestar a viagem.  Depois, no caso dos jovens, é importante checar como é a escola ou a universidade onde estudará. É preciso avaliar se a instituição possui o perfil do aluno. Há escolas que são self-study, isto é, onde o aluno passa uma parte do tempo sozinho. Outras tem turma platinum, com menos alunos; e há ainda aquelas que são multiculturais.

Países  na lista de mais escolhidos pelos intercambistas

Austrália, Nova Zelândia, Canadá, Estados Unidos e Inglaterra. A maioria dos viajantes busca lugares onde se fala a língua inglesa.

Valores e duração

Há intercâmbios a partir de duas semanas. Mas, o que a gente mais vende é o de quatro semanas (um mês), que custa em torno de R$ 6.700. Neste programa estão incluídos o curso, o material didático, a taxa de matrícula e a acomodação em casa de família com as refeições. Se antes o intercâmbio era algo impensável para muitos, devido ao preço, hoje ele é mais acessível por conta das formas de pagamento. A gente parcela a partir de dez vezes sem juros. Há modalidades em que se parcela ainda mais, com acréscimo.

 

*Entrevista originalmente postada pelo jornal A Voz da Serra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com