Após pedido de vista, a votação da nova Base Nacional Comum Curricular é adiada

CNE aceitou que tema da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) seja tratado em regime de urgência, apesar de três conselheiras pedirem mais tempo para analisar propostas.

Um pedido de vista feito nesta quinta-feira (7) por três conselheiras levou ao adiamento da votação da nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC) dentro do Conselho Nacional de Educação (CNE).

Antes do adiamento, o conselho havia apresentado um documento resumindo como a nova base será organizada e implementada nas escolas.

O texto integral, com 350 páginas, não foi divulgado.

Sobre a nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC)

Uma das mudanças na versão apresentada é a inclusão do ensino religioso na BNCC.

Mas esse tópico ainda dependerá de uma comissão específica para decidir se o ensino religioso entrará como área de conhecimento (com o mesmo status, por exemplo, de linguagens ou matemática) ou se será considerado componente curricular dentro da área de humanas.

Outra alteração ao sistema vigente é que a alfabetização deve ser garantida no primeiro e segundo ano do ensino fundamental.

Até então, as escolas tinham até o terceiro ano para isso, quando as crianças têm 8 anos de idade.

De acordo com as “disposições finais” da resolução, o CNE emitirá orientações específicas sobre orientação sexual e identidade de gênero.

O MEC não divulgou a versão final do texto, mas a pasta já tinha tirado o termo “orientação sexual” da terceira versão da BNCC apresentada em abril deste ano.

Deixe uma resposta