Carlos Velloso recusa assumir Ministério da Justiça

Carlos Velloso, ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), foi convidado pelo presidente Michel Temer a assumir o cargo de ministro da Justiça, mas recusou. De acordo com nota divulgada à imprensa, Velloso explicou que compromissos pessoais impediram que ele aceitasse o convite e afirmou que estará “à disposição do presidente Temer“.

Comuniquei, hoje, ao Sr. Presidente da República, a impossibilidade de aceitar o seu convite para ocupar o honroso cargo de Ministro de Estado da Justiça. Não obstante meu desejo pessoal de contribuir com o país, neste momento tão delicado, compromissos de natureza profissional e, sobretudo, éticos, levam-me a adotar esta decisão”, diz trecho da nota.

Velloso foi ministro do STF entre junho de 1990 e janeiro de 2006, quando se aposentou e abriu um escritório de advocacia em Brasília. O ex-ministro já presidiu a Corte entre 1999 e 2001. Caso assumisse o Ministério da Justiça, substituindo o ministro Alexandre de Moraes que foi nomeado ministro do STF após a morte de Teori Zavascki, Velloso seria o responsável pela Polícia Federal, a Secretaria Nacional de Segurança Pública, Departamento Penitenciário Nacional e outros.

Mesmo tendo que recusar o convite, o ex-ministro deixou claro que auxiliará o presidente, de quem é amigo, de outras formas. “Continuarei à disposição do presidente Temer, amigo de cerca de 40 anos, para auxiliá-lo de outra forma, na missão que o destino conferiu ao consagrado constitucionalista de recolocar o Brasil nos trilhos do desenvolvimento econômico, com justiça social. 51 anos de serviço público e, dentre estes, 40 de magistratura, deixam-me seguro de que dei a minha cota de serviço à causa pública“, afirmou por meio da nota.

Devido a recusa de Carlos Velloso, Temer deverá voltar a sondar novos nomes para assumir o Ministério da Justiça. É esperado o anuncio para depois da sabatina de Alexandre de Moraes no Senado, o que está marcado para esta semana.
Fonte: Agência Brasil | G1

Deixe uma resposta