Impeachment de Dilma deixou “cicatriz”, afirma ministro Barroso

O impeachment de Dilma teria deixado uma “cicatriz” na sociedade, segundo afirmação do ministro Luis Roberto Barroso do STF. Esse acontecimento seria ainda debatido pela população dividida pelo impeachment.

A declaração foi dada durante seminário internacional “Papel das Supremas Cortes, Legitimidade Democrática e Direitos Fundamentais”.

Esse foi o processo que tivemos aqui e que gerou, como qualquer observador atento perceberá, uma sociedade que guarda essa cicatriz e ainda está dividida em torno desse procedimento”, afirmou.

Barroso comentou ainda a decisão do Supremo de não intervir na abertura do processo de impeachment da ex-presidente.

Independentemente de qualquer juízo de mérito sobre justiça ou não da decisão parlamentar, o STF não interveio nessa deliberação um pouco pela crença de que, em um país divido politicamente, não caberia a ele fazer escolhas políticas” , disse o ministro.

Apesar de acolhido por dois terços dos deputados federais, a defesa de Dilma questionou desde o inicio a decisão. Já que para a defesa, o então presidente da Câmara Eduardo Cunha acolheu o pedido por um desejo de vingança política.

Salvo que Cunha está com o mandato cassado e foi preso pela Operação Lava Jato em outubro do ano passado.

Fonte: Agência Brasil | G1

Deixe uma resposta