Interrogatório de Cabral e Adriana Ancelmo é marcado para 27 de abril

O interrogatório de Cabral e Adriana Ancelmo, ex-governador e ex-primeira-dama, foi marcado para  27 de abril, pelo juiz Sérgio Moro.

O secretário de Cabral Wilson Carlos, a esposa Mônica Carvalho e o sócio Carlos Emanuel Miranda, também serão ouvidos.

Os cinco são réus por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Devido a “relevância do ato”, como adiantou Moro, os depoimentos não podem ser feitos via conferência.

Requisite-se a apresentação pela Polícia Federal daqueles que se encontram presos ou em prisão domiciliar, Sergio de Oliveira Cabral Santos Filho, Wilson Carlos Cordeiro da Silva Carvalho, Carlos Emanuel de Carvalho Miranda e Adriana de Lourdes Ancelmo. Adianto que pela relevância do ato, que propicia a autodefesa do acusado, e a relativa complexidade do feito, inviável realizá-lo por videoconferência”, determinou o juiz.

Dos cinco, apenas Mônica Carvalho responde o processo em liberdade.

Após os interrogatórios, os advogados de defesa e acusação podem solicitar diligências complementares a serem analisadas por Moro. O juiz federal determinará o prazo para as apresentações das alegações finais, a última fase do processo.

A denúncia do MPF aponta envolvimento do grupo no pagamento de vantagens indevidas em contratos da Petrobras com a Comperj. Contrato, este, no valor de R$819,8 milhões, mas com aditivos que somam R$1,17 bilhão.

Fonte: G1

Deixe uma resposta