Lava Jato deve ter reforços no Supremo Tribunal Federal

A presidente do STF Cármen Lúcia acertou com o ministro Edson Fachin que a Lava Jato deve ter reforços. Será criado um grupo de assessoria para cuidar da celeridade dos processos.

O grupo irá garantir a celeridade da análise dos casos, que se multiplicaram após a “lista de Fachin”. Ou seja, reforçar a equipe de Fachin para agilizar a conclusão dos processos.

A ideia já vinha sendo discutida antes do feriado da Páscoa.

Fachin, que assumiu a relatoria da Lava Jato após a morte de Teori Zavascki, já possuiu três juízes auxiliares.

No dia 17, a OAB pediu que Cármen Lúcia instalasse uma força-tarefa para ajudar na coleta de provas.

Constam mais de 500 processos (inquéritos e ações penais) de competência originária em trâmite perante o Supremo Tribunal Federal que podem avolumar-se como decorrência das investigações em curso, sendo fato incontroverso que sempre se constituem em questões complexas e volumosas. Esse cenário impinge aos ministros do Supremo Tribunal Federal uma intensidade de atuação incompatível com a atual estrutura”, argumentou a OAB.

Fonte: IstoÉ

Deixe uma resposta