Lula se diz contra eleições indiretas e reafirma inocência

O ex-presidente Lula disse que é contra a eleição de qualquer candidato por meio de eleição indireta. O petista também afirmou, em outro evento, ter provado sua inocência e pediu que a “palhaçada”, no caso as acusações contra ele, parassem.

Lula x Eleições Indiretas

Segundo Lula, mesmo se o ex-ministro da Defesa Nelson Jobim fosse candidato em eleição indireta, ele não o apoiaria. Jobim foi ministro no governo Lula e da ex-presidente Dilma Rousseff.

Estão falando aí que, se o Jobim participar, eu não poderia ser contra, mas sou contra eleger qualquer candidato em eleição indireta, até mesmo ele […] Prefiro perder dez eleições diretas a ganhar uma indireta”, afirmou Lula.

Durante o Congresso Nacional do PT, Dilma também se mostrou contra eleições indiretas. “Não haverá pactuação no nosso país sem eleições diretas. Não porque tenhamos o melhor candidato, porque perder eleição não é vergonha. Vergonha é ganhar no tapetão, sem voto […] Estamos vendo o aumento de medidas de exceção. Daí, precisamos das diretas já por uma questão de sobrevivência do país, enquanto país sério e institucional“.

Sobre as acusações de Joesley Batista, dono da JBS, contra Dilma e Lula, o ex-presidente disse:

Não quero que vocês se preocupem com meu problema pessoal […] Eu provei minha inocência e vou exigir que eles provem minha culpa. Vai chegar o dia em que estaremos assistindo TV e vão pedir desculpas ao PT por tudo. Um canalha de um empresário disse que fez uma conta para mim e outra para Dilma, mas a conta está no nome dele e é ele quem mexia na conta”, disse o petista.

A delação de Joesley diz que as contas foram abertas para atender às demandas dos petistas. Sendo o dinheiro usado para pagar propina a políticos do partido e aliados. Joesley afirmou que o dinheiro era operado a mando do ex-ministro Guido Mantega e que Lula e Dilma tinham conhecimento.

Os ex-presidentes negam as acusações.

Então, é o seguinte: chegou o momento de parar com a palhaçada neste país. Este país não comporta mais viver nessa situação de achincalhamento, e o Partido dos Trabalhadores tem de dar uma resposta clara para a sociedade“, acrescentou Lula.

Há, sistematicamente, uma tentativa de nos criminalizar. E tem várias formas de nos criminalizar. Uma delas é [dizer]: ‘Eles sabiam’. Isso é a prova diabólica porque, para provar que não sabia, tem que saber aquilo que não sabia. Como você prova o que não sabe? A prova diabólica era muito usada na Inquisição“, disse Dilma.

2018

O ex-presidente deu a entender que será candidato em 2018. Para Lula, “se a esquerda for para a disputa com discurso preparado, a gente vai voltar a governar esse país”.

Nas eleições, não vamos falar apenas em passado, mas é o passado que nos dará base para falar sobre o futuro”, afirmou ele.

Lula pediu que petistas pensassem em um programa “factível” que possa ser executado, ao invés de focarem em disputas internas.

Entrando nas críticas, Lula disse que delegados deveriam focar também no que foi feito e não só no que não foi feito. “O que a gente tem que avaliar não é o que deixou de fazer, porque a gente deixou de fazer muita coisa, mas nunca ninguém fez tanto como nós“, afirmou.

Sobre o presidente Michel Temer, o petista afirmou que não imagina que os problemas brasileiros serão resolvidos com um presidente “ilegítimo”.

Fonte: Exame | IstoÉ | G1

Deixe uma resposta