Brincadeiras podem ajudar a combater a obesidade infantil

Muitas questões podem acarretar o ganho de peso. Mas o que mais pesa nessa questão é a dieta desbalanceada e a falta de exercícios físicos. Logo, as brincadeiras infantis podem ajudar.

O número é da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE) e pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). Feita em parceria com o Ministério da Saúde.

O estudo internacional foi publicado na revista PLoS One em 2013. Na pesquisa, informa que assistir televisão de uma a três horas diárias, pode aumentar o risco de obesidade. Isso, mas especificamente, em crianças e adolescentes entre 10% e 27%.

A Academia Americana de Pediatras recomenda que seja reduzido o tempo para uma hora diária, entre meninos e meninas de 2 a 5 anos.

Os Pais, em primeiro lugar, deverão dar exemplos aos pequenos. A alimentação como um todo tem que ser revista. E a prática de atividades físicas que aumentam o gasto calórico e trazem inúmeros benefícios precisam entrar na rotina.

“Para combater a obesidade infantil é importante que a família tenha uma alimentação saudável e balanceada, além de estimular as atividades físicas. Limitar o uso de jogos eletrônicos e celulares, procurando opções de lazer mais ativos e com mais movimento”, afirma a professora de educação física da Secretaria de Educação do Distrito Federal, Isabelle Guirelli ao site Saúde Brasil.

É importante deixar a criança à vontade com as brincadeiras ao ar livre. Como brincar na rua, subir em árvores, estimular o ciclismo, jogar bola, claro, com todo cuidado. São opções baratas e divertidas para as crianças.

“O ideal é que a criança escolha a atividade física de sua preferência. Os pais devem respeitar os interesses dela para que haja motivação”, afirma a professora.

Deixe uma resposta