Doação de Sangue: seja um doador e salve vidas

O avanço da medicina tem salvado muitas vidas. Em muitos casos, é preciso utilizar o método de transfusão de sangue para concluir o salvamento dessas vidas. O Brasil ainda não tem a cultura de repetição de doação. No dia 14 de junho se comemora o dia Mundial do Doador de Sangue, presenteie uma vida, faça sua parte.

“Pra gente é importante que a pessoa não venha uma única vez, mas que ela adquira o hábito. Que ela internalize essa cultura de doação, que ainda está incipiente no Brasil. A gente avançou muito, mas frente a outros países que tiveram histórico de guerra, por exemplo, a gente ainda está um pouco aquém”, explica Kelly Baibi, responsável pela captação de doadores do Hemocentro de Brasília ao Blog da Saúde.

Um dos objetivos da Coordenação Geral de Sangue e Hemoderivados (CGSH) do Ministério da Saúde é informar, e também, deixar os possíveis doadores seguros dos métodos utilizados durante a doação, além disso, mostrar que doar sangue não faz mal e não há risco de contaminação.

A tecnologia e os procedimentos estabelecidos pelo Ministério da Saúde estão de acordo com as boas práticas de produção. No entanto, o Brasil é referência mundial devido aos métodos adotados.

Todo o material utilizado durante o recolhimento do sangue é esterilizado e descartável. Antes da doação, todos os doadores são entrevistados por um profissional da saúde com formação de nível superior qualificado e acompanhado de um médico. Isso, para verificar se o indivíduo tem condições de doar sem prejudicar à ele e ao receptor.

Como o sangue chega ao receptor?

Ao receber o certificado de qualificação positivo, o sangue segue para o armazenamento em câmaras semelhantes a uma geladeira e dali doado a quem necessita. Como os pacientes que tratam de doenças do sangue e outras patologias, um exemplo é o câncer. Exitem também pessoas que necessitam do sangue devido a cirurgias e até casos mais graves como acidentes.

O Hemocentro recebe o pedido de sangue através de um médico e nesse pedido vem todas as necessidades do paciente e detalhes do tipo de sangue. A bolsa de sangue segue para o destino informado em ambulâncias e conservado com embalagens térmicas com a temperatura necessária.

Ao chegar no destino, os profissionais da saúde que são responsáveis locais pelas transfusões conferem toda a rotulagem e dali iniciam o procedimento, finalizando o processo de doação.

Um simples ato pode salvar muitas vidas. Seja um doador!

O caminho do sangue desde a doação

https://youtu.be/siH2D6jrG3I

Deixe uma resposta