Gripe: a procura pela campanha ainda é abaixo do esperado

Menos da metade do público alvo tomou a vacina contra a gripe neste ano. A população tem até o próximo dia 1º de junho para tomar a dose em todo o país.

Em todo o Brasil, este ano, foram registrados 1.326 casos, quase o dobro de casos registrados no ano de 2017, que foram 716. Já o número de óbitos também subiu de 118 para 214 mortes, informa o site R7. Mesmo com os números subindo, a procura pela vacinação continua abaixo do esperado.

O Ministério da Saúde tem a expectativa de vacinar 54 milhões de pessoas durante toda a campanha, de acordo com o Órgão, até o dia 16 de maio foram vacinadas 26 milhões de pessoas, este número é considerado todo o público estimado, incluindo pessoas privadas de liberdade como: adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas, funcionários do sistema prisional e pessoas com comorbidades. Logo, dessas 21,4 milhões são idosos a partir de 60 anos, crianças de seis meses a menores de cinco anos, trabalhadores de saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes e puérperas (até 45 dias após o parto), informa o site do Governo.

O efeito da vacina não é instantâneo, em entrevista ao jornal R7, o médico Eulógio Martinez informa: “Você não toma vacina e já sai imunizado. Existe uma janela de duas semanas para começar a fazer efeito, fazendo o efeito máximo em seis semanas.”

A coordenadora-substituta do Programa Nacional de Imunizações, Ana Goretti ressalta para o site do Ministério da Saúde: “É preciso que as pessoas consideradas do grupo-prioritário se conscientizem da importância da vacinação e procurem os postos para se protegerem contra a gripe.”

 

PÚBLICO ALVO

A escolha do público alvo, que são os prioritários segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), em suma, a definição vem através de estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias. Os grupos são priorizados por serem mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias, informa também o site do Ministério da Saúde.

 

PREVENÇÃO DA GRIPE

Para ajudar na prevenção, os médicos pedem para lavar as mãos com frequência e evitar aglomerações em lugares fechado, devido a concentração do vírus.

 

Deixe uma resposta