Novos mictórios do Rio estão largados

Os novos mictórios do Rio estão largados entre as árvores do Parque Noronha Santos, na Nova Cidade. Chamados de Unidades Fornecedores de Alívio (UFAs), os mictórios públicos têm pedaços do plástico da embalagem e outros já começaram a fase da oxidação. A instalação é obrigação da Secretaria Municipal de Conservação e Meio Ambiente (Seconcerma).

Cada unidade custa R$ 19 mil, pagos pelas concessionárias que exploram os banheiros metálicos.  De acordo com a Seconcerma, os novos mictórios do Rio continuam guardados porque “a instalação foi suspensa pela administração anterior”. O órgão garante  que estuda novos pontos para mictórios, mas não confirma um prazo.

Novos mictórios do Rio precisam ser multiplicados

O foco são 100 mictórios, mas atualmente são apenas 26 em uma cidade de 6,4 milhões de pessoas. Quem for flagrado fazendo xixi na rua deve pagar multa R$ 510. Outra solução para o alívio são os banheiros de metal, com porta. Atualmente são 53 – 7 deles pagos, nas Zonas Sul, Norte e Centro, e 26 gratuitos, na Zona Oeste.

No dia 27 de maio, os fãs da banda Amon Amarth que aguardavam o show no Circo Voador tinham que recorrer às duas UFAs colocadas atrás da casa de shows. O fluxo era grande e mau cheiro era proporcional. A urina escorria pelo chão da Lapa.

A Comlurb diz que a limpeza é feita diariamente e que os problemas de entupimento e vazamento são provocados pelo mau uso do equipamento.

Deixe uma resposta