Transplantes de órgãos crescem no Brasil

O número do transplantes de órgãos apresentou um crescimento de 14% em 2017. Nos primeiros seis meses de 2018 o país alcançou o número de 17 doadores por milhão de população (pmp), isso faz o Brasil encostar na sua meta de 18 pmp. Esses dados são da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO).

Mesmo na segunda colocação mundial em número absoluto no número de transplantes de rim, o Brasil ocupa a 33ª colocação quando se leva em consideração a realização desses procedimentos em relação ao tamanho da população. Em 2017 foram 42% das famílias que se negaram a doar órgãos de seu parente que teve morte encefálica comprovada.

Não existe nenhum tipo de documento que comprove a vontade de ser doador de órgãos. Quem quer fazer esse gesto deve conversar com a família sobre isso. É permitido ser doador de rim e fígado ainda em vida. Essa doação deve ser feita com autorização judicial.

Fila de espera de transplantes de órgãos no Brasil

A espera é grande. Segundo a ABTO, são 32.716 pessoas aguardam por um órgão no Brasil, das quais 706 são crianças. O órgão mais aguardado é o ruim, em sua fila de espera estão 21.962 pessoas esperando um órgão compatível.

Nos seis primeiros meses do ano aconteceram 4.257 transplantes de órgãos, deles, 577 foram feitos por pessoas vivas. Os transplantes de córnea aconteceram com mais frequência, 7.396. O Brasil tem o maior sistema público de transplantes do mundo.

 

Deixe uma resposta