Crimes eleitorais estão sendo investigados pela PF

Cerca de 1.659 crimes eleitorais estão sendo investigados pela PF, além de 11 termos circunstanciados. As operações feitas até o momento resultaram em 120 apreensões que somam R$ 10,7 milhões, o objetivo das investigações é apurar a prática de crimes eleitorais desde Janeiro.

O Estado do Rio de Janeiro lidera o ranking, com 533 investigações em andamento. Outros estados são o estado do Ceará com 108, São Paulo com 92 e Rio Grande do Sul com 82.

Esses números foram divulgados pela PF durante a inauguração do Centro Integrado de Comando e Controle das Eleições (CICCE). Esse Centro foi criado com o objetivo de acompanhar em tempo real as demandas de investigações de crimes eleitorais.

O CICCE é formado além da PF pelo TSE, TRE, entre outros órgãos. A princípio segundo a PF o funcionamento se dará entre as datas de 01 a 08 e 22 a 28 de Outubro. Dentro de período que precede o primeiro e o segundo turno das eleições respectivamente.

Delegados da PF reforçam atuação contra crimes eleitorais

Durante entrevista após a inauguração, o Ministro Raul Jungmann, o diretor-geral da PF Rogério Galloro, os delegados Élzio Vicente e Thiago Borelli falaram sobre a importância da atuação da PF durante o pleito. Borelli ficará responsável pela coordenação do CICCE.

Para a PF, os principais crimes investigados são: Propaganda eleitoral falsa, crime contra a honra, boca de urna, entre outros. Para Borelli, só haverá atuação com autorização pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ou pelos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs).

Galloro esclareceu que dessa maneira a função do órgão, será semelhante ao modelo utilizado durante a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016. Além disso a integração entre instituições reduzirá o tempo de resposta aos casos relacionados a crimes eleitorais.

Deixe uma resposta