Transportadoras ameaçam suspender entregas no Rio

Os responsáveis por transportadoras estão aterrorizados com a situação da segurança do Rio de Janeiro. As empresas de transporte de carga que circulam pelas estradas do Rio ameaçam parar o serviço de entregas no estado. Isso se os roubos a caminhões em território carioca não forem reduzidos.

O problema das transportadoras pode desabastecer o comércio e faltar remédios, combustíveis, alimentos, entre outros produtos essenciais para o povo.

Em reunião com a polícia Militar, Civil, Rodoviária Federal e a Força Nacional de Segurança, o dirigente sindical Eduardo Rebuzzi, declarou que:

“As empresas de transporte não aguentam mais. Agora, o que a gente vai fazer é tirar o caminhão. Os motoristas não querem mais vir para cá, correndo risco de tomar tiro ou de sofrer alguma violência. Nós chegamos ao limite.”

Transportadoras tiveram prejuízo de R$ 1 bilhão em 2016

Eduardo disse ainda que apenas em 2016 os prejuízos com roubos de carga no estado do Rio foram em torno de R$ 1 bilhão. Tendo chance de crescer em 30% em 2017.

Esse é um dos motivos que fez o governador do Rio Luiz Fernando Pezão sair da internação em um spa. Ele é aguardado no dia 20 de julho em Brasília para uma reunião com o presidente da Câmara Rodrigo Maia e o presidente Michel Temer. A pauta do encontro é a soltura de recursos para a segurança do estado.

A licença médica de Pezão foi muito questionada pela população. Até porque não é qualquer estado em crise que tem um governador que se afasta do batente. Ainda mais quando é para aliviar o estresse em um spa de alto custo em Penedo (região serrana do Rio).

Segundo o Movimento Unificado dos Servidores Públicos Estaduais (Muspe), com o gasto do governador seria possível alimentar 500 funcionários públicos com os R$ 27.316 cobrado semanalmente no local.

Deixe uma resposta