Greve geral convocada pela CUT deixa o Rio caótico

Com baixa adesão popular e táticas de terrorismo social, a greve geral convocada pela CUT nesta sexta-feira (28),impediu o direito de ir e vir da população.

Cerca 15 pessoas ficaram feridas, 9 ônibus foram incendiados, lojas e agências bancárias foram depredadas.

O dia ainda nem havia começado, e os manifestantes já montavam barricadas pelas principais vias da cidade. Na BR 101, na altura de Niterói – Manilha, um grupo de 20 pessoas incendiou pneus, impedindo a passagem dos veículos, causando um grande congestionamento.

Enquanto isso, um outro grupo de cerca de 60 pessoas, fechou o sentido Rio da ponte Rio – Niterói. A Estação das Barcas Araribóia foi bloqueada pela PM para evitar depredações, e o fechamento da BR 101, foi impossível chegar ao Rio de Janeiro. A Cidade de Niterói foi a primeira a parar.

Fonte: O Globo

Já na Cidade Maravilhosa, a situação começava a se complicar. Às 6 da manhã a Linha Vermelha estava bloqueada por manifestantes. O efeito dominó foi rápido. Linha Amarela, Avenida Brasil, Zona Sul, até a Estrada do Tindiba, em Jacarepaguá sofreu com 1.1Km de congestionamento.

Na região portuária, cerca de 20 pessoas com munidas de paus, bandeiras vermelhas e palavras de ordem, fecharam a Avenida Francisco Bicalho. O trecho de pouco mais de 2 Km da via, foram percorridos em incríveis 2 horas e 17 minutos.

Os manifestantes se concentraram em frente à Rodoviária Novo Rio. Houve confusão quando parte do grupo tentou invadir o terminal, para impedir a saída dos ônibus. A Polícia Militar agiu, um policial ficou levemente ferido no rosto.

Por conta do bloqueio na Rodoviária Novo Rio, a Avenida Presidente Vargas também teve reflexos. No sentido São Cristóvão, a via estava parada desde a Candelária. A Região da Tijuca ficou simplesmente intransitável. Com o grande engarrafamento que tomou conta da Cidade, foram comuns os relatos de assaltos à passageiros de ônibus.

Pela tarde foi a vez dos mascarados entrarem em ação. O primeiro ato, em frente à Assembleia Legislativa, era pacifico, quando os baderneiros entraram em confronto com a PM. Os agentes reagiram, dispersando-os, dando início a uma onda de saques de depredações de lojas e agências bancárias das ruas do Centro.

Fonte: Exame

Na região da Cinelândia, os mascarados atearam fogo em 3 ônibus, o fogo se espalhou para outros, somando 9. Um carro de serviço do metrô foi incendiado, quando um coquetel molotov explodiu. Placas, lixeiras, telefones públicos e até as estações do VLT foram depredadas. Além de uma bomba caseira explodiu no Aeroporto Santos Dumont.

Fonte: Exame

A Polícia Militar informou que reagiu à “ação de vândalos” infiltrados entre os legítimos manifestantes. Já a OAB chamou a atuação dos PMs de “violenta” e “injustificada” e disse que houve uma perseguição a manifestantes pelas ruas.

Greve geral convocada pela CUT e as reformas

Os protestos foram convocados contra as reformas trabalhista e previdenciária, defendidos pelo governo federal. Os projetos foram aprovada na Câmara dos Deputados na última quarta (26).

O relatório final da comissão da Reforma da Previdência fixa idade mínima para aposentadoria – 65 anos para homens e 62 anos para mulheres – e acaba com a possibilidade de aposentadoria exclusivamente por tempo de serviço no INSS. Além disso, eleva o tempo mínimo de contribuição de 15 anos para 25 anos.

Já a reforma trabalhista, prevê a possibilidade do parcelamento das férias em até três vezes, com pagamento proporcional aos respectivos períodos, sendo que uma das frações deve corresponder a ao menos duas semanas de trabalho; jornada de trabalho, com limitação de 12 horas diárias e 220 horas mensais; participação nos lucros e resultados; e jornada em deslocamento.

 

Deixe uma resposta