Mais de 5 mil celulares foram apreendidos em presídios do Rio

O exército iniciou as operações em presídios do Rio, cerca de 250 homens das Forças Armadas ajudaram a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap).

A operação era fazer uma varredura nas celas do presídio Milton Dias Moreira, na Baixada Fluminense. No local, foram encontrados 48 celulares, além de maconha e cocaína.

Administrar os presídios do Rio é apontado como um dos maiores desafios do interventor, o general Braga Netto

Já que dentro dos presídios entram celulares, drogas e armas em grande quantidade.

A Seap informou que em 2017 foram apreendidos, nas 51 unidades prisionais, 5.082 celulares, 27 armas de fogo e 67.779 drogas. Entre invólucros, papelotes e balinhas de cocaína, crack, haxixe e maconha.

“Cada liberdade que você viabiliza ao marginal dentro do sistema prisional é uma liberdade, uma vida que você retira na sociedade. Tem que se pensar nisso. Não se pode achar que um celular dentro de presídio seja um crime de baixa gravidade, como vemos atualmente. É preciso repensar isso, com medidas efetivas não só no sistema prisional mas também com medidas legislativas”, avalia o promotor André Guilherme Freitas, que atua na Vara de Execução Penal.

Deixe uma resposta