Cidadania

82% do brasileiros concordam com aborto em caso de estupro, aponta pesquisa

Karen de Souza Venancio
Escrito por Karen de Souza Venancio em 12 de novembro de 2020
82% do brasileiros concordam com aborto em caso de estupro, aponta pesquisa

O aborto, em casos de estupro feito em segurança por um serviço de saúde, é apoiado por 82% dos brasileiros. Isto, é o que revela a pesquisa “Percepções sobre estupro e aborto previsto por lei”, dos institutos Patrícia Galvão e Locomotiva, divulgada no último domingo (8) pelo portal Uol Universa

No país, a interrupção da gravidez só é permitida em três casos: estupro, anencefalia ou risco de vida à mãe. Nesse sentido, os dados também mostram que 8% acreditam que o aborto não deveria ser permitido de forma alguma, 10% pensam que apenas se houver risco para a mãe, e 12% são a favor do aborto em qualquer contexto.

Além disso, a pesquisa apontou que 88% dos brasileiros consideram que toda cidade deveria ter um serviço de aborto previsto na legislação. Isso, para que a vítima possa escolher sobre a continuidade ou não da gestação. No entanto, apenas 46% afirmam conhecer serviços de saúde para vítimas de estupro.

52% dos entrevistados conhecem uma vítima de estupro

Segundo a diretora da pesquisa do Instituto Locomotiva, Maíra Saruê Machado, o impacto do estupro é uma realidade próxima da população. Visto que 52% dos entrevistados conhecem uma mulher ou menina que já foi vítima e 16% das mulheres disseram ter sofrido violência sexual. 

“A maioria conhece uma mulher ou menina que foi vítima e é unânime a percepção de que as brasileiras temem que isso ocorra com elas. As consequências de um estupro na vida da vítima, sejam psicológicas, físicas ou uma gravidez indesejada, também são bastante reconhecidas. Mas a pesquisa mostra que o acolhimento do Estado às mulheres e meninas vítimas, seja nas delegacias ou no sistema de saúde, pode ser mais qualificado”, disse Maíra ao portal Agência Brasil.

Por fim, entre as mulheres, 95% revelaram ter o medo diário de serem estupradas, sendo que 78% afirmam ter muito medo. Entre os homens, 92% têm medo que pessoas próximas, como a filha, mãe, esposa ou namorada sejam vítimas do crime. O levantamento foi aplicado em todo o país de forma online para cerca de 2 mil mulheres e homens. Estes, a partir dos 16 anos de idade e entre os dias 1º e 14 de setembro.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem Somos

“Nosso foco é informar com senso crítico tudo o que existe de mais importante na área da segurança, saúde, emprego e do ir e vir do cidadão brasileiro.”