Cidadania

Anvisa impõe regras sobre máscaras usadas em aeroportos e aeronaves

Suellen Christine Sales da Silva
Escrito por Suellen Christine Sales da Silva em 15 de março de 2021
Anvisa impõe regras sobre máscaras usadas em aeroportos e aeronaves

As máscaras usadas em aeroportos e aeronaves devem seguir as determinações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A diretoria colegiada aprovou na última quinta-feira (11) as regras para uso devido de máscaras durante a pandemia da covid-19.

A Anvisa, que é uma autarquia do governo federal, tem entre suas missões, a regulamentação de medicamentos e vacinas. Além disso, controla portos, aeroportos, fronteiras e recintos alfandegados no país. Isto posto, a agência diz que as regras sobre as máscaras usadas em aeroportos e aeronaves foram necessárias diante da circulação de novas variantes mais agressivas do vírus.

O uso da máscara é um ato de cidadania. Uma medida em defesa da própria vida e do próximo“, disse o diretor Alex Machado Campos, responsável pela Quinta Diretoria da Anvisa. “Para mitigar a propagação do SARS-CoV-2 e, consequentemente, o surgimento de novas variantes, é preciso reforçar o distanciamento social, a higienização das mãos e o uso de máscaras faciais. Dentre essas ferramentas para a proteção da saúde, é importante destacar o uso eficaz das máscaras, especialmente pela população que transita por ambientes confinados e coletivos“, completa.

Determinações sobre as máscaras usadas em aeroportos e aeronaves

A Anvisa comunicou como deverá ser o uso de máscaras em aeroportos e aeronaves. Assim sendo, segue as determinações:

  • Máscara deve estar bem ajustada ao rosto, cobrindo o nariz e boca, sem aberturas que permitam a entrada ou saída de ar e gotículas respiratórias.
  • Bandanas e lenços não serão permitidos.
  • Uso isolado (sem máscara) de protetor facial do tipo “face shield” não é permitido.
  • Máscaras de acrílico ou de plástico transparente, bem como com válvula de expiração não serão permitidas.
  • Máscaras de tecido confeccionadas artesanal ou industrialmente com material como algodão e tricoline continuam permitidas, mas devem possuir mais de uma camada de proteção e ajuste adequado ao rosto.
  • Dentro das aeronaves e nos terminais aeroportuários só será permitido retirar a máscara para hidratação ou para alimentar crianças com idade inferior a doze anos, idosos e viajantes que sejam portadores de doenças que requeiram dieta especial.
  • Pessoas com transtorno do espectro autista, com deficiência intelectual, com deficiências sensoriais ou com quaisquer outras deficiências que as impeçam de fazer o uso adequado da proteção e crianças com menos de três anos de idade não serão obrigadas a usar a proteção facial.

A Agência pretende contribuir para a implementação de uma nova cultura sanitária brasileira por meio da mudança comportamental da população para uma nova etiqueta no controle da pandemia“, afirma o diretor Alex Campos.

Ademais, as mudanças definidas pela Anvisa começam a valer em 25 de março.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem Somos

“Nosso foco é informar com senso crítico tudo o que existe de mais importante na área da segurança, saúde, emprego e do ir e vir do cidadão brasileiro.”