Bitucas de cigarro jogadas nas praias destroem o oceano aos poucos

Bitucas de cigarro são os principais tóxicos encontrados nos oceanos, segundo a Ocean Conservancy. No Brasil, estima-se que a cada trecho de 8 quilômetros de praia haja 200 mil bitucas de cigarro. Assim sendo, o projeto Lixo Fora D’Água foi criado visando combater as fontes de poluição marinha por resíduos sólidos. O projeto é coordenado pela Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe).

O projeto Lixo Fora D’Água foi criado em 2018 e realizou estudos que comprovam que as bitucas de cigarro deixadas na praia são uma das principais fontes de vazamento de lixo e resíduos para o mar. Com 40,4%, as bitucas de cigarro, só ficam atrás dos materiais plásticos como, plástico filme e hastes plásticas, 52,5%.

Assim sendo, estima-se que mais de 5 trilhões de cigarros são produzidos anualmente. E que, os filtros são feitos de acetato de celulose, que viram microplástico quando entra em decomposição e consequentemente lixo tóxico. Como consequencia, nos últimos 32 anos, as bitucas de cigarro lideram os itens mais resgatados dos mares.

Visando combater o descarte nas praias brasileiras, a Abrelpe decidiu criar a Operação Areia Limpa. Bem como, a operação acontecerá inicialmente em Santos, litoral de São Paulo. Isto é, serão escolhidas duas barracas que receberão mobília e acessórios novos, como mesa de apoio com lixeira; taças e copos retornáveis; canudos compostáveis que serão segregados e, ao final do projeto, levados para compostagem; bituqueiras ‘individuais’ de bambu; e carrinho coletor (de 100 litros) para limpeza frequente ao longo do dia. Haverá ainda placas sinalizadoras e um “cardápio” com informações sobre descarte e sobre a operação.

Ademais, o projeto Lixo Fora D’Água acontece em seis cidades litorâneas, sendo elas Balneário Camboriú (SC), Bertioga e Santos (SP), Fortaleza (CE), Ipojuca (PE), Rio de Janeiro (RJ) e São Luís (MA).

Deixe uma resposta