Cidadania

Cinemas reabrem durante a pandemia

Karen de Souza Venancio
Escrito por Karen de Souza Venancio em 2 de setembro de 2020
Cinemas reabrem durante a pandemia

Apesar dos números de casos do novo coronavírus (SARS-CoV-2) no Rio de Janeiro não apresentarem motivos para diminuir a preocupação com a transmissão da doença, a Secretaria de Cultura do Estado prevê já a partir de setembro e outubro a reabertura dos cinemas na capital e em algumas regiões do estado.

De portas fechadas desde o início da pandemia, as salas de cinema, bem como diversos negócios da indústria do entretenimento sofrem com a pausa nas atividades. Isso por conta do cancelamento de eventos devido às medidas sanitárias e de distanciamento social para reduzir a propagação da Covid-19. 

Nesse contexto, para reacender esse setor que arrecada milhões anualmente, mais de 200 empresas de produção, distribuição e exibição de cinema no Brasil, como a  Globo Filmes e o Cinemark, criaram o movimento #JuntosPeloCinema. A iniciativa visa padronizar os protocolos sanitário e garantir a volta dos espectadores de maneira responsável, segura e com conforto.

Entenda como será a adaptação das salas de exibição

Na primeira quinzena de agosto, o Sindicato de Empresas Exibidoras Cinematográficas do Rio de Janeiro se reuniu com o prefeito Marcelo Crivella para apresentar a documentação com todas as regulamentações de segurança. O plano de retomada faz parte da fase 6 de flexibilização do comércio. Nessa fase, os estabelecimentos podem funcionar. Com tanto que sigam as normas de higienização dos ambientes como as salas de exibição e lounges, que façam uso de máscaras e verifiquem a temperatura tanto dos funcionários quanto do público, além de incentivar a compra de ingressos via meios digitais para, assim, evitar filas e aglomerações.

Em entrevista a revista Monet, Paulo Celso Lui, Presidente do Sindicato das Empresas Exibidoras Cinematográficas no Estado de São Paulo, um dos representantes do movimento Juntos pelo Cinema explica, “A gente quer abrir com cuidado, com segurança e esse movimento garante com que todos recebam essas orientações e possam aplicá-las nas suas salas. O cinema é um dos setores mais regulados, desde a hora em que constrói uma sala até a obrigação de todos os estabelecimemtos estarem linkados com a Agência Nacional de Cinema (Ancine). Numa sala de 100 lugares você vai ter 35 pessoas. Numa sala de 200, 70. Você não vai ter aglomerações como em supermercados, farmácias ou bancos”.

Embora a reabertura parcial dos cinemas tenha a obrigatoriedade de ter até 40% ou 2 metros de distanciamento físico e fomentem economicamente o seguimento, a Sociedade Brasileira de Infectologia juntamente com a Organização Mundial de Saúde (OMS) não recomendam essa flexibilização dos cinemas em cidades onde o número de contágio e mortes ainda são altos, o que ainda acontece no Brasil onde essa situação ainda não está controlada.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem Somos

“Nosso foco é informar com senso crítico tudo o que existe de mais importante na área da segurança, saúde, emprego e do ir e vir do cidadão brasileiro.”