Cidadania

Confrontos em Jerusalém são os mais violentos em décadas

Bruno Albuquerque
Escrito por Bruno Albuquerque em 13 de maio de 2021
Confrontos em Jerusalém são os mais violentos em décadas

Os atuais confrontos em Jerusalém deixam um rastro de destruição e são considerados os mais violentos em décadas de conflito em Gaza. O Ministério de Saúde de Gaza anunciou, nesta última quarta-feira (12), que os ataques de Israel à faixa de Gaza deixaram 400 pessoas feridas, e outras 65 mortas. Os dados foram revelados pela agência palestina Maan, ela já denunciou casos em que o movimento islâmico Hamas estava envolvido.

Os conflitos se intensificaram após alguns israelenses tentarem retomar propriedades de palestinos residentes em Jerusalém Oriental. Essa questão já corre há anos na justiça, no entanto, uma decisão mudou as coisas. Neste ano, a justiça de Israel tomou uma decisão que apoiou a retomada das casas, o que despertou a raiva dos palestinos. A Suprema Corte de Israel realizaria uma audiência, na última segunda-feira (10), para discutir o assunto, contudo com sucessivos confrontos, a reunião acabou adiada.

Nesta terça-feira (11), os confrontos em Jerusalém se agravaram com os ataques de mísseis que causaram a morte de 22 palestinos. Entre os mortos havia nove crianças, no entanto, segundo o governo israelense o ataque aconteceu após o lançamento de foguetes pelo lado palestino. O Domo de Ferro, sistema antimísseis de Israel, conseguiu interceptar quase 90% dos lançamentos. Além disso, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, afirmou que vai restaurar a paz e a ordem, mesmo com mão de ferro.

A Alemanha e a Itália pediram o fim dos ataques com mísseis que haja paz o mais breve possível. E mais, o papa Francisco acompanha de perto a situação na Terra Santa. No último domingo (09), ele exaltou que “a violência só gera violência”. Já, o Quarteto do Oriente Médio formado por Estados Unidos, Rússia, União Europeia e a ONU, pediram que Israel aja com cautela nos confrontos com os manifestantes palestinos.

Histórico dos confrontos entre Israel e Palestina

O embate milenar entre israelenses e a palestina tem foco nas disputas territoriais, mas, acima de tudo, é um conflito étnico-religioso. No entanto, os confrontos aumentaram após a segunda guerra mundial, com o movimento sionista judeu para a volta à Terra Prometida. Com uma maior ocupação de judeus que reivindicavam a posse das terras, os confrontos se intensificaram. Posteriormente, as Nações Unidas se encarregou da situação e dividiu área em dois Estados (Estado de Israel e Estado da Palestina), contudo a cidade de Jerusalém se tornou território internacional. Entretanto, mesmo com o esforço da ONU, a guerra já dura anos e está longe de terminar.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem Somos

“Nosso foco é informar com senso crítico tudo o que existe de mais importante na área da segurança, saúde, emprego e do ir e vir do cidadão brasileiro.”