Erros na correção do Enem 2019 afetam 6 mil candidatos

Erros na correção do Enem 2019 marcaram o exame do ano passado. O ministro da educação, Abraham Weintraub, estimou em seis mil o número de candidatos afetados. Ele também relatou que o erro ocorreu na impressora da gráfica Valid Soluções S.A, responsável pela diagramação, manuseio, embalagem, rotulagem e entrega aos Correios dos cadernos de provas.

A princípio, os erros na correção do Enem 2019 foram comprovados a partir de estatísticas do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela produção e correção da prova. Segundo Abraham Weintraub, foi identificado que alguns candidatos apresentaram notas altas no primeiro dia e resultados baixos no segundo.

Foram constatados também, erros na identificação dos candidatos e da respectiva cor de sua prova. A falha, segundo o Inep, ocorreu na gráfica visto que os arquivos das provas chegaram ao instituto com divergências. Isto é, o candidato fez a prova de uma cor, mas a nota foi corrigida como se fosse de outra.

A gráfica Valid Soluções S.A foi contratada para a impressão das provas sem ter experiência em serviços parecidos. A gráfica que imprimia as provas desde 2009, RR Donnelley, faliu em março de 2019.

Quanto as redações, o Inep afirmou que “pressupõe uma revisão” em caso de “notas muito diferentes“. Segundo o Inep, dois professores avaliam os textos, individualmente, sem que um saiba da nota atribuída pelo outro. Dessa forma, o sistema protege os candidatos.

Assim sendo, no último domingo (19), uma força-tarefa do Ministério da Educação foi montada para identificar os problemas. Além disso, ao menos 200 mil candidatos pediram revisão das notas pelo e-mail enem2019@inep.gov.br.

MPF cobra explicações sobre os erros na correção do Enem 2019

A Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC), do Ministério Público Federal (MPF), solicitou que a suspensão do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) fosse feita até que os resultados do Enem 2019 fossem atualizados totalmente. Além disso, o órgão pediu ao Inep que fossem informados os motivos reais que resultaram na divergência das notas, dando um prazo máximo de 24 horas para o instituto. 

Por outro lado, pelo próprio perfil no Twitter, o ministro da educação, Abraham Weintraub, afirmou que as inscrições do Sisu 2020/1 seguem normalmente e ressaltou o prazo final para 26 de janeiro. 

Ademais, o resultado do Sisu 2020/1 está previsto para 28 de janeiro. No mesmo dia, serão abertas as inscrições do Programa Universidade Para Todos (ProUni), seleção para bolsas de estudos que também utilizará as notas do Enem 2019

Deixe uma resposta