Cidadania

Entenda como verificar se o seu CPF é usado por outras pessoas

Bruno Albuquerque
Escrito por Bruno Albuquerque em 7 de abril de 2021
Entenda como verificar se o seu CPF é usado por outras pessoas

Nos últimos anos, os casos de roubos de dados aumentaram em todo mundo e com a pandemia agravou-se. Por exemplo, o número de golpes com CPF roubado cresceu cerca de 160% em 2020. Isso é o que comprova a empresa Acesso Digital, que atua na área de proteção de dados individuais. Entenda como verificar se o seu CPF é usado por outros indevidamente a fim de evitar esses tipos de problemas.

Em 2020, aconteceu o que ficou conhecido como o megavazamento de dados que descarregou informações de mais de 220 milhões de brasileiros vivos e já falecidos. Sobretudo, com a posse deles, os criminosos tem a capacidade de praticar inclusive movimentações financeiras. Marco DeMello, o CEO da PSafe, relatou em entrevista à CNN relatou que é muito comum criminosos utilizarem os dados das vítimas para cometerem crimes.

A fim de evitar os vazamentos de dados e as possíveis fraudes, o Banco Central criou a ferramenta Registrato. Essa plataforma pretende oferecer um extrato de todas transições financeiras feitas por uma pessoa. E mais, com o cadastro e a consulta do levantamento é feito 100% online. Para se inscrever, basta entrar no portal, escolher o método de cadastramento e preencher os campos necessários.

Acima de tudo, o Serasa Consumidor dá as seguintes dicas simples para escapar das armações

  • Evitar perder de vista os documentos;
  • Não informe os números dos documentos em sorteios e promoções de empresa que você não conhece;
  • Não faça cadastro em sites que não sejam de confiança;
  • Fuja de compartilhar dados pessoais em redes sociais.
  • Antes de mais nada, desconfie de sites que anunciam produtos com preços muito abaixo do mercado;

Entenda a forma de tentar reverter as fraudes

Segundo o portal do Serasa Consumidor, a primeira atitude quando se descobre uma dívida e não a reconhece é procurar a instituição financeira. Pode ser o banco, a companhia de telefone ou loja. O advogado Cristiano Sobral, professor do Consumidor do CERS Cursos Online, orienta a pedir que a empresa retire o nome da lista de inadimplentes. Entretanto, caso isso não ocorra, o consumidor deve entrar na Justiça com uma ação de declaração de inexistência do débito.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem Somos

“Nosso foco é informar com senso crítico tudo o que existe de mais importante na área da segurança, saúde, emprego e do ir e vir do cidadão brasileiro.”