Escolas tradicionais da Zona Norte fecham suas portas

A Zona Norte tem visto suas mais tradicionais escolas, algumas até centenárias, fechando as portas ou atravessando sérias complicações.

O empobrecimento da região, aliado à alta concorrência de grandes grupos educacionais, fez com que as escolas tradicionais, deixassem de existir.

É o caso, por exemplo, do Instituto Arte e Instrução, em Cascadura. Do Colégio Nossa Senhora da Piedade, na Piedade. E também dos colégios da Gama Filho, na Piedade, e da UniverCidade, em Vaz Lobo.

Hoje, o antigo e tombado prédio do que era o Arte e Instrução, encontra-se com a fachada pichada, e o pátio está coberto por mato alto. Como funcionário, só há um vigia. Vizinhos contam que, eventualmente, uma telha cai. A unidade foi inaugurada na primeira metade do século 20 e fechou em 2013.

O Colégio Republicano, em Vaz Lobo, completou 91 anos neste mês. No entanto, é cada vez menor o número de matriculas da unidade. Alguns funcionários acreditam que o fechamento da escola é uma questão de tempo.

O grande terreno onde funcionou, desde 1914, o Colégio Nossa Senhora da Piedade, no Encantado, está abandonado desde o fechamento da unidade em 2016.

Naquele ano, a então diretora-presidente da instituição, irmã Maria de Fátima Marques de Oliviera, afirmou que “o principal fator foi o entorno”, que, segundo ela, tem uma “dificuldade de crescimento profunda”. O fechamento do colégio só piorou.

Os prédios abandonados geram um desafio a mais para a segurança da região. O local onde funcionava a UniverCidade, em Vaz Lobo, que também tinha um colégio de ensino básico, foi invadido. Os assaltos são constantes.

Deixe uma resposta