Marcha da Cidadania e Ordem acontece no Rio de Janeiro

A “Marcha da Cidadania e Ordem” aconteceu na última segunda-feira (19) no Rio de Janeiro. Dezessete secretarias e órgãos públicos realizaram a ação conjunta contra a desordem urbana.

A ação ocorreu na Lagoa Rodrigo de Freitas, no Parque Garota de Ipanema e no Jardim de Alah, todos localizados na Zona Sul do Rio de Janeiro. O objetivo é acolher pessoas em situação de rua, retirar das ruas usuários de drogas e acabar com o comércio irregular.

Esta operação teve início por volta de 6h e contou com o apoio de assistentes sociais, psicólogos, garis e uma unidade do 23º Batalhão de Polícia Militar (Leblon).

Em entrevista ao jornal O Globo o secretário de Governo e Relações Institucionais, Cleiton Rodrigues falou sobre a operação.

Precisamos dar dignidade a essas pessoas, mas estamos em uma guerra. Precisamos ocupar o território e devolver esse espaço para o carioca, para o turista. Isso é fundamental”.

Marcha da Cidadania e Ordem acolhe população em situação de rua

Na megaoperação realizada três pessoas foram encaminhadas para o hotel solidário da Central, uma pessoa para o abrigo municipal, sete pessoas foram encaminhadas para centros assistenciais, três pessoas resolveram voltar pra casa e outras três não aceitaram o atendimento.

Só no Jardim de Alah aproximadamente vinte pessoas dormiam no local quando a operação começou. Foram recolhidos pela Comlurb carrinhos de compras, ferros, cacos de vidros e outros pertences.

Me parece ser o ponto de maior degradação da Zona Sul. Um teste da nossa marcha para vermos erros e acertos. Vamos começar nos pontos turísticos e depois seguir para o resto da cidade”, disse Rodrigues.

Conheça algumas histórias de pessoas que foram atendidas e acolhidas

Um homem de 39 anos foi encontrado morando em cima dos galhos de uma árvore. Ele tem residência fixa em São João de Meriti, na Baixada Fluminense e após o atendimento resolveu voltar pra casa em uma van da Fundação Leão VIII.

Um rapaz de 25 anos identificado como Laerte Aparecido Rodrigues Porangaba, natural de Osasco, São Paulo, foi registrado na Região dos Lagos pela família como desaparecido. A ocorrência é de junho de 2018. Ele foi encaminhado para a Delegacia e a família será comunicada.

Outro homem que nem tinha certidão de nascimento disse que veio de Minas Gerais e que nem lembra há quanto tempo vive na rua. Ele disse que trabalha com reciclagem.

A operação é para evitar crimes nesses locais e melhorar a visibilidade. Cleiton Rodrigues afirmou que a Marcha vai acontecer todos os dias e que a preferência é de que seja 24h por dia.

Deixe uma resposta