Ônibus circulam com as janelas abertas durante a pandemia

Os ônibus durante a pandemia circulam com as janelas abertas e o ar condicionado desligado. Segundo infectologistas, a circulação de ar dificulta a propagação do vírus, por isso um ambiente fechado aumenta as chances de transmissão de uma pessoa para a outra. A Secretaria Municipal de Transportes do RJ conta com cerca de 6 mil ônibus, sendo 4 mil com ar condicionado, incluindo os corredores de BRT.

A princípio, a abertura das janelas dos ônibus com ar condicionado é a medida principal. Inclusive, os ônibus que circulam com o ar condicionado ligado, têm o risco de sugar vírus e bactérias caso alguém espirre ou tussa dentro do automóvel. Dessa forma, a ventilação joga os vírus e bactérias de volta e espalha por todo o interior do ônibus. Entretanto, o ar condicionado possui filtros que barram as sujeiras trazidas pela ventilação. Mas, com o tempo, se não forem limpos, os filtros acumulam sujeira e gordura.

Assim sendo, bactérias e vírus podem se depositar nessas sujeiras e gorduras e viver ali por muito tempo. Por isso é recomendada a limpeza periódica desses sistemas. Dessa forma, especialistas em ar condicionado recomendam que o filtro de ar seja limpo mensalmente. Além disso, o sistema completo deve ser totalmente higienizado ao menos uma vez por ano.

Além da limpeza do ar condicionado, há a necessidade da desinfecção dos veículos. Dessa forma, as empresas de ônibus da Região Metropolitana do Rio estão reforçando a higienização dos coletivos ao final de cada viagem. Isto é, visando combater a disseminação do novo coronavírus.

As equipes de limpeza treinadas atuam em dois turnos nos pontos finais e nos terminais rodoviários, priorizando os bancos, ferros e partes metálicas e de plásticos dos veículos. Aos motoristas e demais profissionais que trabalham nas ruas é oferecido álcool gel para higienização das mãos.

Ademais, foram disponibilizados para os funcionários cem kits de limpeza com borrifador, esponja e papel toalha, além de 300 litros de solução para desinfecção. Estes, destinados para o trabalho nas ruas, que permanecerá até o fim da pandemia, segundo as empresas.

MetrôRio, VLT e trens são higienizados assim como os ônibus durante a pandemia

O VLT Carioca vai liberar automaticamente a abertura das portas para os usuários não precisarem tocar no botão, como ocorre normalmente. A concessionária também intensificou as ações diárias de limpeza das composições, incluindo a desinfecção dos balaústres. Bem como, fará a limpeza dos aparelhos de ar condicionado com mais frequência e a distribuição de frascos de álcool gel para os fiscais.

Já o MetrôRio diz que “vem monitorando a situação e está veiculando campanhas educativas a fim de orientar os passageiros e colaboradores“, além de reforçar a limpeza nos trens e estações.

A SuperVia, que opera o sistema metropolitano de trens, instaurou um comitê interno para planejar e implementar as ações para diminuir os riscos de contaminação. A concessionária está elaborando material informativo e terá equipes especiais para fazer a desinfecção interna dos trens.

Deixe uma resposta