Petrobras encontra óleo em reservatórios de Santos

A Petrobras encontra óleo em reservatórios porosos do primeiro poço do bloco Uirapuru, localizado no chamado “polígono do pré-sal”, na Bacia de Santos. De acordo com a companhia, essa é uma área de exploração conhecida informalmente como Araucária. Ainda segundo a empresa, o poço está localizado a cerca de 200 km da costa da cidade de Santos (SP) e a 2 mil metros de profundidade.

O bloco Uirapuru foi adquirido na 4ª Rodada de Partilha de Produção, em junho de 2018. Além disso, a gestão do bloco cabe a Pré-sal Petróleo S.A. (PPSA), mas a Petrobras possui 30% de participação. Isso, em parceria com ExxonMobil (28%), Equinor (28%) e Petrogal (14%).

A Petrobras acrescentou que os dados do poço serão analisados e, a partir das informações, será possível direcionar melhor as atividades exploratórias na área e avaliar o potencial da descoberta.

Petrobras encontra óleo durante redução de produção

A descoberta do óleo ocorreu em um momento em que a petroleira começa uma redução da produção. Assim sendo, a estatal comunicou que com a contração da demanda por petróleo e combustíveis decidiu adotar novas medidas que envolvem redução da produção de petróleo, postergação de desembolso de caixa e redução de custos.

Dessa forma, a produção de petróleo passou a sofrer corte de 200 mil barris diários. Por outro lado, para definição dos campos que terão sua produção diminuída, a Petrobras levará em consideração condições mercadológicas e operacionais. A duração da restrição, assim como potenciais aumentos ou diminuições, será continuamente avaliada.

Ademais, a companhia ajusta o processamento de suas refinarias, em linha com a demanda por combustíveis. Como parte das ações destinadas a promover o corte anunciado de US$ 2 bilhões de gastos operacionais em 2020, foram tomadas decisões para poupar aproximadamente R$ 700 milhões em despesas com pessoal, além de outras medidas.

A Transpetro, subsidiária integral da Petrobras, também aprovou o plano de resiliência, que consiste em medidas para reduzir a estrutura de custos. Isto é, gastos operacionais e investimentos são postergados ou desembolsos são otimizados, no valor de R$ 507 milhões em 2020.

Deixe uma resposta