Projeto que prevê fim das UPPs é aprovado em primeira discussão na Alerj

Na última terça-feira (19), a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), aprovou em primeira discussão, o projeto para a extinção das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs). Iniciado em dezembro de 2008 com a inauguração da primeira UPP, no Morro Santa Marta em Botafogo, na zona sul do Rio, o projeto chegou ter 38 UPPs em atividade, com efetivo total de cerca de 9 mil policiais.

Haverá ainda uma votação em segunda discussão. Caso aprovado, será encaminhado para sanção do Governador Wilson Witzel. Esse projeto de lei é de autoria do deputado estadual Rosenverg Reis (MDB). De acordo com a proposta, os policiais militares que atuam nas UPPs serão realocados entre os batalhões da PM de maneira igual, além disso, caberá ao Comandante Geral da Polícia Militar redefinir as áreas de lotação, de acordo com os índices de maior criminalidade.

Autor do projeto de extinção de UPPs reforça o desgaste do programa

Ao justificar o projeto, o deputado Rosenverg Reis ressalta que após dez anos do início do projeto das UPPs, esse projeto apresenta segundo Reis: “Claros sinais de esgotamento, não tendo desse modo um bom desempenho.” E complementa: “Em uma boa parte das comunidades, a violência voltou a ser rotina e com a extinção das UPPs, reforçaremos o policiamento no Estado, entretanto é bom deixar claro que muitas regiões da mesma forma estão sofrendo com déficit alto de policiais militares.”

O programa de governo, que foi lançado no governo de Sérgio Cabral, na época foi anunciado como a principal política de segurança pública do Estado do Rio de Janeiro. O objetivo do programa a época de sua fundação era reduzir a criminalidade em comunidades que possuíam alto índice de violência, devido a ação do crime organizado.

Deixe uma resposta