Uso das sacolas plásticas no RJ cai 42% em supermercados

O uso das sacolas plásticas no RJ caiu 42% nos supermercados, segundo levantamento da Associação de Supermercados do Estado (Asserj). Inicialmente, a meta estabelecida para junho de 2020, visava diminuir em 40% a utilização de sacolas plásticas. Contudo, a meta foi alcançada nos quatro primeiros meses após a lei entrar em vigor.

Quatro meses após a lei ser implementada, a pesquisa da Asserj constatou que 560 milhões de bolsas plásticas deixaram de ser distribuídas no Estado e consequentemente deixaram de ser descartadas irregularmente no meio ambiente. Antes da lei, eram distribuídas nos supermercados quatro bilhões de sacolas por ano.

O levantamento da Asserj foi feito em supermercados que aderiram à campanha “Desplastifique Já!”. Assim sendo, o movimento busca conscientizar a população sobre os impactos do produto no meio ambiente. Além disso, incentivar a mudança de hábitos para um consumo mais consciente a partir do uso de sacolas retornáveis. 

Quando a lei entrou em vigor em junho deste ano, tínhamos como meta atingir 40% de redução em um ano. Como superamos essa meta com quatro meses, só temos a comemorar. Isso mostra a aceitação da lei pelo consumidor, que está levando sua sacola de casa ou retornando com a sacola menos poluente para suas compras no supermercado. O consumidor está mais consciente” afirma Keila Prates, superintendente da Asserj.

Além da consciência ecológica do consumidor, Keila credita a redução do uso da sacola plástica ao custo, já que alguns supermercados cobram R$ 0,08 por cada sacola. As duas primeiras sacolas são dadas gratuitamente.

Ademais, a Asserj espera em cinco anos reduzir em mais de 80% o número de sacolas plásticas, de supermercados e mercados de bairros, no meio ambiente. Outras redes, como farmácia e roupas, também estão substituindo a sacola convencional por sacolas menos poluente ou de papel.

Entenda a Lei do uso das sacolas plásticas no RJ

De acordo com a Lei Estadual nº 8.006/18, desde 26 de junho deste ano, os estabelecimentos devem oferecer sacolas confeccionadas com mais de 51% de fontes renováveis, a preço de custo e sem lucro para os lojistas.

Por outro lado, a Lei 8.473, publicada no dia 17 de junho deste ano, determina que os estabelecimentos comerciais do Estado do Rio de Janeiro devem reduzir, progressivamente, o número de sacolas plásticas disponibilizadas ao consumidor, sendo 40% no primeiro ano e 10% nos anos subsequentes até o 4º ano de vigência da nova regra.

A saber, o Rio de Janeiro foi o primeiro Estado a banir a distribuição das sacolas plásticas em estabelecimentos comerciais. E, o não cumprimento da lei prevê penalidades na Lei de Política Estadual de Educação Ambiental, como também a aplicação de multa.

Deixe uma resposta