Cidadania

Saiba o que vai pesar no bolso em 2021

Karen de Souza Venancio
Escrito por Karen de Souza Venancio em 30 de dezembro de 2020
Saiba o que vai pesar no bolso em 2021

Após um ano de crise devido a pandemia do novo coronavírus, o país entra em 2021 sem o auxílio emergencial e com a expectativa de reajustes em várias áreas e setores. Veja abaixo o que vai impactar na renda da população brasileira em 2021, segundo o portal G1.

Salário mínimo

Embora o salário mínimo aumente para R $1.088 no próximo ano, segundo a última proposta oficial do governo federal, os reajustes dos valores do aluguel, plano de saúde e conta de luz devem consumir grande parte desta renda. 

Fim do Auxílio Emergencial

Criado para amenizar os efeitos da crise sanitária  e principalmente gerar alguma renda aos trabalhadores afetados pelo distanciamento social, o auxílio emergencial chega ao fim neste mês de dezembro. Ao todo, foram 67 milhões de brasileiros beneficiados e por conta disso , o governo federal prevê um novo programa social, que também substituiria o Bolsa Família. Entretanto, a proposta ainda não saiu do papel. 

Aluguel mais caro

Conhecido por ser a inflação do aluguel, o Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) acumulou uma alta expressiva em 2020. Este índice foi afetado principalmente devido a desvalorização do real e pelo avanço dos preços das commodities. Nesse sentido, a previsão é que os contratos de aluguel sofram reajustes durante o ano de 2021.

Plano de saúde

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) estabeleceu em novembro, que os planos de saúde deverão reajustar os valores de 2020 de forma diluída em 12 meses a partir de janeiro de 2021.

Conta de luz

Em novembro, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu pela cobrança extra na conta de luz dos consumidores a partir de dezembro. Com isso, a Aneel passa a cobrar o maior valor do sistema de bandeiras da agência, a bandeira vermelha patamar 2. 

Tarifas de transporte público

Em 2020, por conta da pandemia, os valores de passagem de ônibus, metrô e trem permaneceram estáveis em grande parte do país. No entanto, em 2021, as tarifas devem aumentar. Esclarecendo melhor, isto deve acontecer devido a alta do preço do petróleo. O que impacta o custo do diesel. E por consequência, a manutenção das frotas dos transportes públicos.

Alimentos com alta mais modesta

Para os alimentos, a previsão de especialistas é de um aumento mais moderado em comparação a 2020. Na prática, os reajustes dependerão do preço das commodities no mercado internacional, do comportamento do real em relação ao dólar e das condições da safra.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem Somos

“Nosso foco é informar com senso crítico tudo o que existe de mais importante na área da segurança, saúde, emprego e do ir e vir do cidadão brasileiro.”