Brasil: 57 mil empregos formais criados, mas RJ perde postos

De acordo com o Ministério do Trabalho, o Brasil terminou o mês de outubro com 57.733 postos de trabalho formais. Esse anúncio foi feito na última quarta-feira (21/11) e o número representa dessa maneira, um crescimento de 0,15% ante setembro. Entretanto, o Estado do Rio de Janeiro, não registrou crescimento dos postos de trabalho, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

O país registrou 1.279.502 admissões e 1.221.769 desligamentos, já no período de janeiro a outubro, houve geração de 790.579 empregos. Isso quer dizer que houve variação positiva de 2,09%. O saldo acumulado deste ano é o melhor já registrado desde 2015.

23 de 27 estados no Brasil apresentaram crescimento de postos de trabalho

O crescimento no número de vínculos empregatícios foi registrado em 23 das 27 unidades da federação. De acordo com os dados, destacam-se: São Paulo, com aumento de 13.088 postos de trabalho (com alta de 0,11%); Santa Catarina, com 9.743 (0,49%); Rio Grande do Sul, com 9.319 (0,37%); Paraná com 6.937 (0,26%); e Ceará, com 3.669 (0,32%).

No entanto, quatro estados apontaram queda no saldo de empregos. Dessa forma, esses estados são: Goiás (3.565 postos a menos -0,29%); Pernambuco, que perdeu 1.330 vínculos (-0,11%); Rio de Janeiro, com menos 847 postos (0,03%); e Rondônia, que perdeu 374 vagas (-0,16%).

Desse Modo, houve registro de aumento no número de empregos em quatro de cinco regiões do país. Só no Sul, foram mais 25.999 postos de trabalho. Seguido do Sudeste, que registrou 15.988 vínculos; Nordeste, com 13.426 e Norte, com 2.379. No Centro-Oeste, o saldo se manteve (- 59 postos).

Ainda de acordo com o levantamento, o salário médio de admissão foi de R$ 1.528,32 em outubro, e o salário médio de desligamento foi de R$ 1.672,00. Em termos reais, ao considerar a deflação medida pelo Índice Nacional de Preço ao Consumidor (INPC), houve aumento de 0,45% no salário de admissão e queda de 1% no salário de desligamento.

Expansão do comércio pelo Brasil gera destaque do setor no aumento de empregos

Além disso, o aumento no número de empregos foi constatado em seis de oito setores econômicos. O comércio teve o melhor desempenho, ao registrar expansão de 34.133 postos de trabalho. No varejo foram criados 28.984 vínculos, isso representou aumento de 0,39%. No ramo atacadista foram 5.149 postos a mais, isso gerou aumento de 0,32% no comércio atacadista.

Ministério do Trabalho destaca dados sobre emprego no Brasil após a Reforma Trabalhista

O levantamento ainda informou sobre a distribuição de emprego entre as modalidades criadas, após a Reforma Trabalhista. Desse modo, foram registrados 15.981 desligamentos via acordo entre empregador e empregado, envolvendo assim 11.272 estabelecimentos, em um universo de 10.347 empresas. Um total de 23 empregados realizou mais de um desligamento nesta modalidade.

Quando avaliada no levantamento, os seguintes dados apresentados no que tange ao trabalho intermitente. Informam dessa maneira o registro de 7.545 admissões e 2.701 desligamentos, com saldo positivo de 4.844 empregos, envolvendo dessa forma 2.842 estabelecimentos, em um universo de 1.996 empresas. De acordo com os dados, cerca de 54 empregados firmaram mais de um contrato na condição de trabalhador intermitente.

Já na condição de trabalho em Regime de Tempo Parcial, houve o registro de cerca de 6.034 admissões e 3.816 desligamentos, com saldo de 2.218 empregos. Cerca de 5.599 estabelecimentos foram envolvidos em um universo de 4.813 empresas. Cerca de 30 empregados celebraram mais de um contrato nessa modalidade.

Deixe uma resposta