Saúde

Aplicativos de rastreamento da covid-19 podem diminuir a contaminação

Suellen Christine Sales da Silva
Escrito por Suellen Christine Sales da Silva em 11 de agosto de 2020
Aplicativos de rastreamento da covid-19 podem diminuir a contaminação

Os aplicativos de rastreamento da covid-19 fazem parte de uma das alternativas para combater o coronavírus. Atualmente, sete aplicativos funcionam em seis países, sendo dois aplicativos no Brasil.

Os softwares dos aplicativos de rastreamento da covid-19 utilizam o sistema de localização do celular para saber onde o usuário está e se está próximo de pacientes infectados. Dessa forma, aliam-se duas técnicas: a vigilância participativa, que surgiu com o monitoramento de rebanhos no Brasil na década de 1980, e o rastreamento de contatos, uma ação de vigilância epidemiológica.

Jonas Brant, professor de Saúde Coletiva da UnB (Universidade de Brasília), explica que o uso da tecnologia através do celular, pode ser útil para reduzir o número de infectados. No entanto, a baixa adesão ao aplicativo faz com que a notificação sobre possíveis contágios seja ainda menor.

Um estudo realizado na Universidade de Oxford, no Reino Unido, mostra que 60% da população do país deveria utilizar o software para que a tecnologia fosse eficaz na mitigação dos casos. A taxa sobe para 80% se considerar só os que têm celular. “Baixar o aplicativo é fácil. Difícil é conseguir que as pessoas usem por um longo período de tempo”, alerta Brant sobre a necessidade de engajamento na ferramenta.

Aplicativos de rastreamento da covid-19 mais baixados no mundo

O aplicativo indiano Aarogya Setu é o que mais foi baixado. Até o fim de julho, tinha mais de 127 milhões de downloads. Mesmo assim, só atingiu 9% da população da Índia. Dessa forma, a chance de um possível infectado ser notificado sobre a contaminação é menor que 1%. Já a tecnologia da Alemanha, o Corona-Warn-App, tem o segundo maior número de downloads (16,2 milhões) e chegou a 19,8% dos habitantes.

No Brasil, o Coronavírus SUS é o terceiro mais baixado (10 milhões de downloads) e alcançou cerca de 4,7% da população. Além do rastreamento, com uma funcionalidade implantada recentemente, é possível verificar sintomas e ajudar o usuário a identificar casos suspeitos e onde procurar ajuda médica.

Outro aplicativo do país, é o Guardiões da Saúde, que surgiu para o monitoramento do Distrito Federal, mas pode ser utilizado em outros Estados e países. Este ocupa a sétima posição com mais de 19 mil downloads.

Em quarto lugar tem o japonês Cocoa (Covid-19 Contact-Confirming Application) que chegou a 6,1% da população e tem mais de 7 milhões de downloads. Em seguida vem o Covidsafe e o StopCovid France que tem 6 e 2 milhões de downloads, respectivamente.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem Somos

“Nosso foco é informar com senso crítico tudo o que existe de mais importante na área da segurança, saúde, emprego e do ir e vir do cidadão brasileiro.”