Saúde

Casos de infarto em casa aumentam durante a pandemia

Nariene da Silva Xavier
Escrito por Nariene da Silva Xavier em 30 de maio de 2020
Casos de infarto em casa aumentam durante a pandemia

O número de infectados pelo novo coronavírus nos hospitais só aumenta. Mas ao mesmo tempo, os médicos têm notado uma redução significativa de pacientes com uma doença que costumava ser maioria nos corredores: as cardiopatias (casos de infarto).

A principal hipótese para essa queda de procura é o medo de contaminação pelo covid-19. “O risco de ter um infarto em casa e morrer por não procurar um pronto-socorro é muito maior do que pegar a covid-19“, diz Pedro Silvio Farsky, cardiologista do Hospital Israelita Albert Einstein e do Instituto Dante Pazzanese, ambos em São Paulo, para o site UOL.

O especialista confirma que notou uma redução drástica de pacientes com emergências cardiovasculares, como infarto e AVC. “Agora, as pessoas vêm ao hospital só quando ocorre um agravamento do quadro, o que é muito perigoso“, diz.

Ricardo Costa, cardiologista intervencionista e presidente da SBHCI (Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista), diz que o infarto é a principal causa de morte no Brasil e no mundo.Trata-se de uma emergência médica que precisa ser tratada com brevidade. O não-tratamento ou o tratamento retardado pode ser fatal ou deixar graves sequelas ao coração“, alerta.

O tratamento para essas doenças só é eficaz se o atendimento for precoce. De acordo com Farsky, essa janela de eficácia dura poucas horas para o AVC e até 12 horas para o infarto.

Com medo da covid-19, pessoas não vão ao hospital tratar infarto

O fenômeno da diminuição desses pacientes nos hospitais não é notado apenas no Brasil. Uma pesquisa realizada pelo site Angioplasty.Org, mostrou que o número de pessoas que morreram em casa de ataque cardíaco em Nova York, nos Estados Unidos, entre 30 de março e 5 de abril, foi 800% vezes maior do que o mesmo período em 2019. Já, um estudo conduzido pela Fundação IRCCS Policlinico San Matteo, na Itália, mostrou que houve um aumento de 58% no número dos casos de infarto fora dos hospitais ao longo dos primeiros 40 dias da pandemia de Covid-19 no país, em comparação com o mesmo período do ano passado.

As causas serão investigadas. Mas, duas das possíveis explicações é fato de o doente evitar ir para o hospital com medo de ficar doente pelo novo coronavírus. E, a resistência dos próprios hospitais em lidar com pacientes não infectados em plena epidemia.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem Somos

“Nosso foco é informar com senso crítico tudo o que existe de mais importante na área da segurança, saúde, emprego e do ir e vir do cidadão brasileiro.”