Saúde

Coronavírus: 24 voluntários serão infectados por R$ 22 mil

Nariene da Silva Xavier
Escrito por Nariene da Silva Xavier em 14 de março de 2020
Coronavírus: 24 voluntários serão infectados por R$ 22 mil

Um laboratório no Reino Unido oferece 3,5 mil libras (R$ 21,7 mil) para voluntários que aceitem ser infectados por um tipo de coronavírus. A pesquisa é para tentar desenvolver uma vacina contra a Covid-19.

Segundo o The Times, nos testes no Reino Unido, 24 voluntários serão infectados com duas cepas de coronavírus mais frágeis com o SARS-CoV-2. O grupo ficará em quarentena por duas semanas no laboratório da Hvivo, no qual especialistas acompanharão o possível desenvolvimento de sintomas e administrarão novos antivirais, que terão a eficácia avaliada.

De acordo com os responsáveis pela ação, o objetivo é conseguir desenvolver uma vacina que possa ser oferecida aos idosos e mais vulneráveis até o fim deste ano.

Coronavírus: entenda como corpo se defende de ameaças como covid-19

O Sars-CoV-2, como é chamado oficialmente o novo vírus, faz parte de uma família conhecida pelo menos desde meados dos anos 1960 e que circula em animais, especialmente em morcegos. Mas estes vírus têm uma grande capacidade de sofrer mutações e produzir novas variedades que infectam outras espécies, entre elas, seres humanos.

Diante de uma nova ameaça, o corpo tem de partir do zero e construir as defesas necessárias. Todas as pessoas nascem com defesas naturais contra invasores. E isso faz com que outras células acionem mecanismos para se tornarem menos suscetíveis à infecção e ativa o sistema imunológico, que vai pôr em ação células específicas para combater o invasor.

Estas células são fabricadas continuamente pela medula óssea, a partir de células-tronco, que estão em um estágio inicial de desenvolvimento e tem o potencial de se transformar, em um processo de diferenciação, para cumprir funções específicas.

Desta forma, as células-tronco se tornam leucócitos, ou glóbulos brancos , que atuam em nosso sistema imunológico. Os neutrófilos são o tipo de leucócito mais numeroso e atuam como a primeira linha de defesa do organismo. Eles envolvem e eliminam o invasor por meio da fagocitose, produzindo enzimas digestivas que destroem o patógeno.

Também liberam sinais químicos que recrutam mais células para atacar a ameaça. Isso gera uma inflamação na região onde está o invasor. Esta área é irrigada com sangue, que traz consigo mais leucócitos para auxiliar no combate.

Outro tipo de glóbulo branco, o linfócito conhecido como natural killer (assassino natural), age principalmente contra tumores e vírus. Um terceiro tipo de leucócito, o macrófago, também atua neste estágio fagocitando invasores, mas cumpre a função da resposta imune.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem Somos

“Nosso foco é informar com senso crítico tudo o que existe de mais importante na área da segurança, saúde, emprego e do ir e vir do cidadão brasileiro.”