Saúde

Novembro azul: prevenção é essencial no combate ao câncer de próstata

Karen de Souza Venancio
Escrito por Karen de Souza Venancio em 11 de novembro de 2020
Novembro azul: prevenção é essencial no combate ao câncer de próstata

De acordo com o Sistema de Informação de Mortalidade (SIM), o câncer de próstata é a segunda maior causa de morte em homens e foi responsável por 15.576 mortes em 2018. Em 2020, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), são estimados 65.840 novos casos no Brasil. Apesar do número alto, cerca de 90% dos casos têm cura quando o diagnóstico é feito precocemente.

Nesse sentido, a campanha do Novembro Azul, promovida pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), tem como finalidade divulgar a importância do diagnóstico antecipado do câncer de próstata e da saúde do homem. Em reportagem ao G1, o doutor Hugo Silva Neves, explicou sobre a doença. Confira em baixo, o que ele revelou ao portal de notícias.

Quando fazer o exame?

A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) recomenda o início da avaliação do risco de câncer da próstata aos 50 anos. Homens com histórico familiar de câncer de próstata devem começar aos 45 anos. Os exames deverão ser feitos após uma análise dos fatores de risco pelo urologista e discussão de riscos e benefícios, em decisão compartilhada com o paciente.

Quais os sintomas?

O câncer de próstata tem evolução silenciosa. Grande parte dos pacientes não apresentam nenhum sintoma ou, quando apresentam, são semelhantes aos do crescimento benigno da próstata (dificuldade de urinar, necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite.) Na fase avançada, pode provocar dor óssea, sangramento urinário e, em casos extremos, insuficiência renal.

Como fazer o diagnóstico?

A detecção precoce do câncer de próstata, através do toque retal e a dosagem sanguínea do PSA (antígeno prostático específico), é a forma mais eficiente para identificar o tumor em fase inicial e, assim, possibilitar melhor chance de tratamento. O toque retal permite ao médico avaliar presença de nódulos (caroços) ou tecidos endurecidos na superfície prostática.

Apesar do exame ser desconfortável e considerado um tabu, é parte fundamental na avaliação. Assim, ajudando também na decisão da melhor forma de tratamento. Dessa forma, o diagnóstico do câncer de próstata é feito exclusivamente através da biópsia da próstata, guiada por ultrassonografia, indicada de acordo com achados nos exames de toque retal e mensuração do PSA.

Quais os tratamentos?

A escolha do tratamento adequado costuma ser individualizada e definida entre médico e paciente. Para doença localizada (confinada à próstata), podem ser oferecidos cirurgia, radioterapia e até mesmo observação vigilante (em casos selecionados). Já Para doença metastática (quando o tumor já disseminou para outros órgãos), a terapia hormonal é o tratamento mais indicado.

Segundo o urologista, Hugo Neves, muitos homens têm medo do diagnóstico de câncer, porém, a medicina tem evoluído para proporcionar aos pacientes tratamentos menos invasivos e mais eficazes.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem Somos

“Nosso foco é informar com senso crítico tudo o que existe de mais importante na área da segurança, saúde, emprego e do ir e vir do cidadão brasileiro.”