Saúde

Síndrome respiratória aguda grave aumenta em dez capitais brasileiras

Suellen Christine Sales da Silva
Escrito por Suellen Christine Sales da Silva em 2 de novembro de 2020
Síndrome respiratória aguda grave aumenta em dez capitais brasileiras

A síndrome respiratória aguda grave (SRAG) apresenta tendência de alta forte ou moderada em dez capitais brasileiras, segundo dados da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). De acordo com o Boletim InfoGripe, da Fiocruz, Aracaju (SE), Florianópolis (SC), Fortaleza (CE), João Pessoa (PB), Macapá (AP), Maceió (AL) e Salvador (BA) têm probabilidade de aumento de casos variando entre 75% e 95%.

A síndrome respiratória aguda grave (SRAG) é uma das consequências dos quadros graves da covid-19, responsável por mais de 97% dos casos. Segundo a Fiocruz, o número de mortes pela doença no país está em zona de risco.

Os óbitos relatados da síndrome levam em consideração a ocorrência de febre. Assim sendo, mais de 87,7 mil pacientes com esses sintomas faleceram no Brasil desde o início da pandemia. Se forem considerados os casos sem febre, no entanto, o número é ainda mais expressivo e ultrapassa 130 mil.

Os dados dos dois cenários mostram um crescimento alarmante em relação a anos anteriores. Em 2019, houve registros de menos de quatro mil casos fatais da SRAG. 

A saber, a análise da Fiocruz foi feita com base nos números da semana epidemiológica 43, no período de 18 a 24 de outubro.

Entretanto, nas cidades de Belém, Florianópolis, Fortaleza, João Pessoa, Macapá, Salvador e São Luís, os sinais de alta já são observados semanalmente há um mês.

Nas cidades de Aracaju (SE), Florianópolis (SC), Fortaleza (CE), João Pessoa (PB), Macapá (AP), Maceió (AL) e Salvador (BA), a sinalização é de que a síndrome deve crescer nas próximas semanas de modo muito forte. Já em Belém (PA), São Luís (MA) e São Paulo (SP), a tendência é moderada para longo prazo, com alguma estabilização em curto prazo.

Ademais, nacionalmente, o cenário observado de casos da SRAG é de queda, mas ainda com ocorrências consideradas altíssimas.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem Somos

“Nosso foco é informar com senso crítico tudo o que existe de mais importante na área da segurança, saúde, emprego e do ir e vir do cidadão brasileiro.”