Agentes da Supervia são acusados de abuso sexual

Quatro agentes da Supervia e uma dupla de policiais são acusados por dois adolescentes por abuso no Rio de Janeiro. As vítimas relatam que foram tiradas violentamente do trem na estação do Maracanã. Além disso, teriam sofrido humilhações, ameaças e ainda tiveram que praticar sexo oral um no outro na própria estação. O caso teria acontecido no último dia 7 e os agressores filmaram o ato e publicado na internet.

“Mais que humilhação, covardia. Levou a gente para trás da estação. Começou a bater na gente. Jogou spray de pimenta, bateu com a arma na nossa cara, chutou a cabeça. Mandou a gente rolar no mijo, secar o mijo”. Revelou um dos jovens.

Os amigos, de 17 e 18 anos, assumiram ser usuários de drogas. Disseram ainda que seguiam para comunidade da Mangueira comprar maconha. Porém, no momento que foram abordados disseram que não estavam com drogas. Os jovens contaram que as seis pessoas que participaram da ação, “Dois falando que eram policiais e quatro guardinhas da Supervia”. Segundo uma das vítimas, durante o ato sexual que foram obrigados a participar, uma arma era apontada para a cabeça deles e os agressores diziam que em caso de desobediência eles iriam atirar.

A reclamação dos menores foi registrada por um parente de uma das vítimas na Delegacia de Polícia Judiciária Militar.

Participação de agentes da Supervia e policiais é apurada

A assessoria de imprensa da Polícia Militar disse que pelas imagens mostradas no vídeo não é possível identificar se são policiais militares e que estão sendo feitas apurações para verificar se há envolvimento de PMs ou não neste caso.

A Supervia disse que o caso vai ser apurado com rigor para verificar se há envolvimento de funcionários ou empregados terceirizados. A concessionária informou que abriu uma sindicância interna para apurar o ocorrido e, caso seja constatada a participação, os funcionários serão desligados.

Deixe uma resposta