Brasil: Mais de 38 mil mortes violentas registradas em 2018

O Brasil registrou cerca de 38.436 assassinatos nos nove primeiros meses deste ano. Somente em setembro foram registradas cerca de 3.721 mortes violentas. Entretanto o número é ainda maior. Isso porque os estados do Maranhão e do Paraná, não informaram os dados referentes ao mês de setembro. Além disso, cabe lembrar que o Estado do Paraná não divulga esses dados, assim sendo, os números de julho e agosto. Esse levantamento foi feito pelo índice nacional de homicídios. 

A ferramenta criada pelo portal G1, permite o acompanhamento de dados de vítimas de crimes violentos mês a mês no país. Esse mapa, que faz parte do monitor da violência, atua através de uma parceria do portal G1 com o Núcleo de Estudos da Violência da USP e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Dados sobre mortes violentas no Brasil podem ser acessados via lei de acesso a informação

Desde o inicio do ano, jornalistas do portal G1 espalhados pelo Brasil, solicitam os dados por via da lei de acesso à informação. Esse levantamento é feito seguindo o padrão metodológico utilizado pelo Fórum no Anuário Brasileiro de Segurança Pública. Isso tem como objetivo antecipar os dados, e desse modo possibilitar um diagnóstico em tempo real da violência. Isso, a fim de cobrar transparência por parte dos governos.

Esse número consolidado contabiliza até agora todos os homicídios dolosos, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte. Todos esses quadros juntos, compõem os chamados crimes violentos, letais e intencionais.

No entanto, dois estados (Maranhão e Paraná), dizem não ter ainda os dados referentes a setembro. O Paraná também não divulgou os dados de julho e agosto, cada estado justificou a ausência de divulgação dos dados informando o seguinte:

Maranhão: “os dados de setembro ainda estão sendo consolidados e só deverão ser divulgados no final do ano, obedecendo ao prazo de três meses legalmente estabelecido”, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública.

Paraná: “Os dados (dos três meses) ainda estão sendo tabulados para posterior homologação e divulgação”, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública.

Deixe uma resposta