Traficante Marcelo Piloto é expulso do Paraguai após homicídio na prisão

O Traficante Marcelo Fernando Pinheiro da Veiga, vulgo Marcelo Piloto, que estava preso em Assunção, capital do Paraguai, foi expulso do país na última segunda-feira (19/11). A confirmação da expulsão foi feita pelo Presidente da República do Paraguai, Mário Abdo Benítez.

Em publicação no Twitter, ao confirmar a expulsão do traficante brasileiro do país, o Presidente Benítez declarou o seguinte: “Decidi expulsar Marcelo Pinheiro, vulgo “Piloto“ do Paraguai. Que o nosso país não é uma terra de impunidade para ninguém.”

A aeronave chegou ao aeroporto que fica do lado paraguaio da Usina de Itaipu antes das 7h. Após a chegada, Marcelo Piloto foi levado para a delegacia da Polícia Federal em Foz do Iguaçu, um helicóptero da Polícia Civil do Paraná foi usado para fazer o transporte.

Marcelo Piloto teria assassinado garota de programa a fim de evitar extradição

No último sábado (17/11), Marcelo Piloto assassinou uma jovem dentro do presídio onde se encontrava. De acordo com promotores paraguaios, o crime tinha como objetivo tentar evitar a sua extradição. Segundo o promotor Hugo Volpe, o homicídio foi “uma atitude extrema de Piloto para impedir a sua extradição ao Brasil.”

A vítima de homicídio cometido por Marcelo Piloto, teria ido visitá-lo de maneira irregular. De acordo com o Ministério Público do Paraguai. Lídia Meza Burgos de 18 anos, teria ficado cerca de 40 minutos na cela, e faleceu após levar 16 facadas. O Ministério Público informou que essa era a segunda visita da vítima a Marcelo Piloto dentro da prisão.

Dessa maneira, segundo o promotor Hugo Volpe, “ela ingressou no presídio sem ser dia e hora da visita.” Segundo informações, Lídia era garota de programa, as investigações apontam que ela entrou às 12h35, no presídio em Assunção. No entanto, por volta das 13h50, o guarda que fazia a ronda no pavilhão da prisão afirmou ter ouvido gritos vindos da cela onde Marcelo Piloto estava recluso.

De acordo com o guarda, ao fazer a verificação, ele encontrou a mulher caída no chão com graves ferimentos. Lídia ainda chegou a ser levada ao hospital, mas, durante o trajeto entre o presídio e o hospital, a jovem de 18 anos acabou vindo a óbito. Ainda assim, de acordo com o promotor, Marcelo Piloto teria matado a jovem utilizando uma faca de mesa. Cabe lembrar que no Paraguai é permitido que os presos tenham talheres na cela. O corpo de Lídia, está sendo submetido a autópsia. As primeiras informações dão conta de que Lídia teria sido atingida por 16 golpes de faca.

Em setembro houve determinação para extradição de Marcelo Piloto

Em setembro, de acordo com a decisão que determinou a extradição do traficante para o Brasil. Marcelo Piloto só poderia ser entregue às autoridades brasileiras, após a conclusão de dois processos abertos no Paraguai. Assim sendo, um por homicídio, e outro por produção de documentos falsos e violação da Lei de Armas vigente no país.

Na audiência, Marcelo Piloto, teria nesse caso, recusado à juíza e ao promotor do caso. De acordo com o Ministério Público do Paraguai, Piloto teria tomado tal conduta, uma vez que tentava prolongar a burocracia e adiar assim a sua extradição.

De acordo com o promotor Hugo Volpe, a apelação para que não seja extraditado se encontra em segunda instância. A previsão é de que seja julgada em cerca de 15 dias. Entretanto, caso comprovada a culpa na morte da jovem, sua permanência no Paraguai pode ser revista pela justiça.

Marcelo Piloto pode estar envolvido em assassinato de advogada

Na última semana, a sócia de um advogado de Marcelo Piloto, foi executada em Pedro Juan Caballero, (cidade localizada na fronteira entre o Brasil e o Paraguai). Laura Casuso, estava atuando na defesa de outro traficante brasileiro, Jarvis Pavão, e chegou a atuar na defesa de Marcelo Piloto, em parceria com Jorge Prieto, de acordo com o Ministério Público do Paraguai.

Deixe uma resposta