Projeto segurança presente vai ser levado a Jacarepaguá e Maracanã

O segurança presente ganhará expansão ainda neste semestre. De acordo com anúncio feito pelo secretário de governo do estado, Gutemberg Fonseca para o jornal Extra. Os bairros que receberão o projeto são os bairros do Maracanã, na Zona Norte e Jacarepaguá, na Zona Oeste. Entretanto existe também, o interesse por parte do governo em expandir o projeto para a Baixada Fluminense, pois a prefeitura de Nova Iguaçu se ofereceu para bancar o programa na cidade, da mesma forma que é feito em Niterói atualmente.

De acordo com Gutemberg, a Associação Comercial da Tijuca, e a concessionária que administra o Estádio do Maracanã mostraram interesse em levar o projeto ao bairro do Maracanã, especialmente em dias de eventos. Por outro lado, a Associação Comercial e Industrial de Jacarepaguá, seria nesse caso, a responsável por manter o programa em atividade pelo bairro da Zona Oeste.

Governo negocia desbloqueio de recursos da Fecomércio para o Segurança Presente

Para diminuir a quantidade de recursos do estado investidos nesse projeto. O secretário de governo, informou que já está negociando a volta dos pagamentos da Fecomércio. No ano passado, os repasses da entidade que bancavam o projeto no Méier, Aterro e Lagoa, foram bloqueados pelo Tribunal de Contas da União (TCU) que argumentou que o aporte era usado para desvio de finalidade.

Como critério para expansão, Gutemberg afirmou que levará em consideração a mancha criminal. Ou seja, as regiões que apresentam maior aumento nos crimes. Na primeira semana deste ano o projeto chegou à Tijuca e a Ipanema.

Operação Segurança Presente no Leblon já apresenta números positivos

No último domingo (20), o governo divulgou a diminuição de 81% nos crimes registrados pela 14ª DP (Leblon), no horário de atuação do segurança presente. Entretanto, desde que foi criado, não houve nenhum levantamento dos índices especificamente nas áreas do projeto. O menor recorte feito pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) que engloba regiões cobertas por delegacias, maiores do que as atendidas pelo programa.

Analisando os dados das delegacias que recebem ocorrências do programa, não é possível perceber redução nos crimes desde 2015, quando o projeto começou no Centro. Por exemplo, a área coberta pela 1ª DP (Praça Mauá), que engloba parte da região do programa Centro Presente. Apresentou um aumento em roubos de pedestres (101%), carros (216%) e em ônibus (100%) em 2018, em relação a 2015 os índices de roubos a comércios caíram na região, com queda de (18%).

Deixe uma resposta