ID estudantil: MEC lança aplicativo para carteira digital

O Ministério da Educação (MEC) lançou o ID Estudantil, o aplicativo foi anunciado no último dia 25. Com ele é possível emitir a carteirinha estudantil digital gratuitamente. E, além disso, garantir ao aluno o direito ao benefício de meia-entrada em shows, teatro e outros eventos culturais.

Para obter o documento, é necessário que a instituição de ensino à qual o estudante está vinculado insira os dados dele no Sistema Educacional Brasileiro (SEB), do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

No relatório sobre os alunos, além do CPF, as escolas devem enviar os seguintes dados: data de nascimento, curso, matrícula, ano e semestre de ingresso dos estudantes.

Os alunos podem conferir se sua instituição passou os dados ao sistema no ID Estudantil. Caso não tenham sido cadastrados, os estudantes devem cobrar o envio diretamente na instituição em que estudam.

Carteirinha tradicional versus ID estudantil

Atualmente, tanto a UNE quanto a Ubes cobram R$ 35 pela carteira tradicional, além do frete. Esse serviço é uma das principais fontes de recursos das entidades e já foi criticado pelo ministro da Educação. Por esse sistema, a UNE fica com 20% do valor (R$ 7), e a Ubes, com 25% (R$ 10,50).

Os critérios variam, e essas carteirinhas precisam ter uma lista de dados dos estudantes para terem valor, como foto do estudante e data de validade. Em alguns casos, estudantes apresentam a carteirinha e um comprovante de matrícula em bilheterias para terem direito ao benefício.

Com o ID Estudantil do MEC, os estudantes passam a ter a opção de emitir uma carteirinha digital gratuita. Já os alunos que quiserem manter a carteirinha tradicional emitida pelas entidades estudantis poderão solicitá-las às instituições e pagar o valor pedido.

O ministro afirmou nesta segunda que os 57,9 milhões de estudantes brasileiros do ensino básico e superior estão incluídos no programa de carteirinha digital. Ele estima que pode passar de R$ 1 bilhão a economia decorrente da opção de se apresentar o documento em um smartphone.

Deixe uma resposta